Notícias
Redação Lux em 18 de Outubro de 2017 às 19:00
Ex Pussycat Dolls revela que o grupo era 'uma rede de prostituição'
1/5 - Kaya Jones - 57ª cerimónia de entrega dos Grammy em Los Angeles Foto: Reuters
2/5 - Kaya Jones - 59ª Gala anual de entrega dos Prémios Grammy em Los Angeles 12.01.17 Foto: Reuters
3/5 - Kaya Jones - 57ª cerimónia de entrega dos Grammy em Los Angeles Foto: Reuters
4/5 - Kaya Jones - Grammys 2013 Fotos: Reuters
5/5 - Kaya Jones - Grammys 2013 Fotos: Reuters

Kaya Jones, ex-elemento das Pussycat Dolls, diz que o grupo era “uma rede de prostituição” e afirma que foi obrigada a dormir com executivos da indústria da música.

“Não estava numa girls band, estava numa rede de prostituição, por acaso até cantávamos e éramos famosas, mas quem fazia dinheiro era os nossos donos. Foi mau o suficiente para me afastar dos meus sonhos.”

A artista americana, de 33 anos, deixou o grupo em 2005. A fundadora da banda, Robin Antin, já reagiu às declarações, dizendo que “são mentiras ridículas e nojentas” e que Jones só esteve à experiência no grupo durante uns tempos.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção