Internacional
Woody Allen: filha adotiva volta às acusações de violação
Woody Allen - Prémios do American Film Institute 09.06.17 Foto: Reuters
Redação Lux em 18 de Janeiro de 2018 às 09:54

Dylan Farrow, filha adotiva de Mia Farrow e co-adotada, quando tinha seis anos, em 1991, por Woody Allen, deu uma entrevista ao programa "CBS This Morning", na qual volta a acusar o realizador de a ter violado em criança.

Esta é a primeira entrevista de Dylan que em 2014  denunciou o cineasta numa carta aberta em 2014. Em dezembro, escreveu sobre o caso num editorial para o Los Angeles Times questionando o motivo de Woody Allen ter sido poupado após as acusações iniciadas com o escândalo de Harvey Weinstein e o movimento #MeToo.

O irmão de Dylan é o jornalista Ronan Farrow, cujos artigos de divulgação de testemunhos de assédio em Hollywood contribuíram para a queda de Harvey Weinstein.

"Eu sou credível e eu estou a dizer a verdade, e acho que é importante que as pessoas percebam que uma vítima, uma acusadora, importa. E que é suficiente para mudar as coisas", disse Dylan Farrow num trecho da entrevista gravada em sua casa, em Bridgewater, Connecticut, nos Estados Unidos e que vai ser transmitida nesta quinta-feira (18).

Woddy Allen sempre negou Woody Allen as acusações, foi investigado pelo caso e nunca foi acusado legalmente de nenhum crime.

A propósito da entrevista de Dylan Farrow, Oprah organizou uma numa mesa redonda em que se sentaram Natalie Portman, Reese Witherspoon, Shonda Rhimes, Nina Shaw, América Ferrera e Tracey Ellis Ross e manifestaram o seu apoio a Dylan Farrow.

O ressurgimento destas acusações fez com que vários atores sentissem necessidade de diatanciar do realizador de culto, de 82 anos. Timothée Chalamet dispensou o dinheiro que lhe rendeu o papel em A Rainy Day In New York a favor de obras de beneficência que combatem abusos e assédio, que incluem a Time’s Up. A atriz Rebecca Hall pediu desculpa pela sua participação no filme e também clamou que ia doar o seu salário. Mora Sorvino, que ganhou um òscar pelo seu papel no filme de Woody Allen "Mighty Aphrodite" bradou que nunca voltará a trabalhar com Woody Allen.

Já Alec Baldwin, que entrou em três filmes do realizador, reagiu expressando o seu apoio a Woody Allen. O ator considerou a acusação "injusta e triste para mim" e lembrou que trabalhar com Allen foi "um dos privilégios" da sua carreira.

 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção