Internacional
Rita Pacheco em 19 de Outubro de 2016 às 12:43
Fotos: Mario Vargas Llosa e Isabel Preysler em Lisboa

Perante um auditório cheio, Mario Vargas Llosa apresentou o seu mais recente romance, “Cinco Esquinas”, no CCB, em Lisboa. 

Durante uma hora, o Prémio Nobel da Literatura falou do livro, da infância, de política, da vida e da morte. Na plateia, Isabel Preysler ouvia tudo com um sorriso nos lábios.

Em Portugal, a acompanhar o namorado, a socialite confessou que é um prazer ouvir Vargas Llosa:

“É bom estar aqui neste lançamento, tal como estive em todos os outros. Gosto de ouvir as perguntas que lhe fazem, há sempre diferenças nas respostas. O Mario gosta muito de falar”.

O casal esteve apenas dois dias em Lisboa, mas tentou aproveitar os momentos livres para passear:

“É uma cidade que tem um encanto muito especial e onde ainda há livrarias por todo o lado. De manhã, estávamos a passear pela cidade e encontrei muitas livrarias e uma feira de livros usados. Penso que uma cidade com livrarias é uma cidade viva” disse Vargas Llosa.

Esta não é a primeira vez que o casal está em Lisboa. Ambos conhecem bem a cidade e têm amigos em Portugal. Isabel tem razões acrescidas para guardar um carinho especial pela capital portuguesa:

“A minha filha mais velha nasceu aqui. Estava de férias, em Cascais, e a Chábeli resolveu nascer. Tive-a no hospital da Cruz Vermelha. Tenho muito boas memórias e tenho muitos amigos cá, por isso gosto muito de voltar“.

Mario Vargas LLosa, que diz não sentir a idade, confessou:

“Vivo entre projetos e sonhos e vivo uma aventura intelectual. Isso faz-nos sentir vivos. Acho que se começa a morrer quando se começa a esperar a morte. E começa-se a esperar a morte quando se fica parado."

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção