Internacional
Michael Douglas tornou-se um homem diferente com a doença
Michael Douglas (Lux)
Redação Lux em 18 de Dezembro de 2010 às 13:02
Desde que descobriu que tinha um cancro na garganta, em agosto deste ano, Michael Douglas passou por um verdadeiro calvário, e o carinho da mulher e dos fi lhos mais novos tem sido o seu principal suporte. Ainda que pelos piores motivos, o ator, de 66 anos, aprendeu a dar valor à vida e ao verdadeiro conceito de família.

Numa entrevista dada após ter passado o Dia de Ação de Graças no Disneyworld, na Florida, com a mulher, Catherine Zeta-Jones, de 41 anos, e os filhos do casal, Dylan, de 10 anos, e Carys, de 7, Michael Douglas confessa: «Fiquei impressionado com o amor e o apoio que recebi. O cancro mostrou-me o que é a família e um amor que eu não sabia existir.»

Na verdade, nos últimos meses o ator reaproximou-se do pai, com quem mantinha uma relação distante há vários anos.

«Ele não poderia ser mais carinhoso. Esteve aqui todos os dias. Foi fantástico», disse sobre o pai, o ator Kirk Douglas, de 94 anos, que se mudou para Nova Iorque para estar ao lado do filho.

Visivelmente mais forte fisicamente depois de ter completado três sessões de quimioterapia e sete semanas de radioterapia, Michael Douglas diz-se otimista em relação à previsão dos médicos.

«Sinto-me cada vez mais forte. Mas sei que ainda tenho um longo caminho pela frente», revelou.

Apesar de os médicos garantirem que há mais de 80% de hipóteses de estar curado, só em janeiro é que Michael Douglas saberá se o tumor na garganta foi totalmente eliminado.

Enquanto esse dia não chega, o ator prepara o seu próximo trabalho, um filme de Steven Soderbergh no qual vai interpretar o extravagante pianista Liberace e para o qual vai ter formação musical.
Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção