Internacional
Carrilho reage: «Se há queixa, é minha contra a Bárbara»
Bárbara Guimarães e Manuel Maria Carrilho - Lançamento de «Pensar o Mundo» Foto: Artur Lourenço/Lux
Redação Lux  com Vanessa Barros Cruz em 25 de Outubro de 2013 às 16:05
Manuel Maria Carrilho negou ao DN a acusação de violência doméstica avançada pelo Correio da Manhã e revela que apresentou queixa contra Bárbara Guimarães.

«Se há queixa, é minha contra a Bárbara que foi apresentada no DIAP [Departamento Investigação Acção Penal], após o momento em que, para minha surpresa, me vi impedido de entrar em minha casa e ver os meus filhos», afirmou o ex-ministro da Cultura ao DN.

A Lux confirmou junto da Polícia de Segurança Pùblica (PSP) que, na passada madrugada do dia 19, houve uma intervenção das autoridades na morada de Bárbara Guimarães e Manuel Maria Carrilho.

Segundo o gabinete de relações públicas, houve um pedido de ajuda para a mesma morada. «O caso está agora em investigação junto do departamento criminal», explicou um dos responsáveis do mesmo organismo.

No local, a Lux testemunhou a existência de seguranças que além de controlarem a entrada e saída do prédio onde Bárbara Guimarães continua a morar, fazem também o transporte do filho da mesma e respetiva ama.



Tal como é noticiado esta semana na revista, que já está nas bancas, a apresentadora, de 40 anos, e o antigo ministro da Cultura, de 62, estão separados.

E a estrela da Sic já chegou mesmo a pedir no Tribunal de Família e Menores de Lisboa, a regulação das responsabilidades parentais, referentes aos seus dois filhos menores, Dinis Maria, de 9 anos, e Carlota Maria, de 3.

Casal estava junto há mais de doze anos.

Leia a toda a história na Lux desta semana, já nas bancas!



Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção