Internacional
Depois de Harvey Weinstein, fotógrafo Terry Richardson banido
Terry Richardson - Apresentação da coleção outono/inverno 2017 de Tom Ford 2016 07.09.16 Foto: Reuters
Redação Lux em 25 de Outubro de 2017 às 11:42

O famosíssimo fotógrafo de moda Terry Richardson está a ser banido pelo grupo  Condé Nast , que detém algumas das mais prestigiadas publicações do sector como a Vogue, GQ, Glamour ou a Vanity Fair.

Segundo o The Daily Telegraph, as publicações do grupo deverão cessar todo o trabalho com Richardson e todos os trabalhos na calha para serem publicados deverão ser “eliminados ou substituídos por outro material”.

James Woolhouse, vice-presidente executivo da empresa, enviou um email em que se lê:

“Quaisquer fotografias que tenham sido comissionadas ou que já estejam finalizadas, mas ainda por publicar, deverão ser eliminadas ou substituídas por outro material. Por favor confirme que esta medida é acionada no seu mercado com efeito imediato”.

Terry Richardson, conhecido pelo contexto sexualmente explícito da sua arte, já esteve envolvido em várias acusações de exploração sexual da parte de modelos mas a verdade é que, com o episódio Harvey Weinstein, as reivindicações contra assédio e abuso sexual ganham mais força.

Em 2014, o fotógrafo, de 52 anos, reagiu às acusações com uma declaração publicada no The Huffington Post, onde frisa que  colaborou sempre “com o consentimento de mulheres adultas que estavam plenamente conscientes da natureza do trabalho”. “Nunca usei uma proposta de trabalho ou uma ameaça de repreensão para coagir alguém a fazer algo que não quisesse fazer”. Veja aqui a carta "Corrigindo os rumores" na íntegra.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção