Nacional
D. Isabel de Bragança confessa a angústia de ficar sem os filhos na noite de passagem de ano
D. Duarte e D. Isabel na Venda de Natal da Ordem Soberana Militar de Malta Foto: Salvador Esteves/Lux
Redação Lux em 31 de Dezembro de 2014 às 08:47
Devota de Nossa Senhora da Conceição, D. Isabel de Bragança revela à Lux que só começa a viver e a pensar no Natal depois do dia 8 de dezembro, data em que se celebra o Dia da Padroeira e Rainha de Portugal.

Os preparativos na casa de Sintra ainda estão um pouco atrasados, mas os duques de Bragança contam com a ajuda dos três filhos (Afonso, de 18 anos, Maria Francisca, de 17, e Dinis, de 15), para que tudo esteja perfeito na Consoada.

«Aquilo de que todos gostamos é do ambiente que se vive nesta quadra, de estarmos juntos, em família. O Natal é uma época de reflexão, uma época que convida a estar junto à lareira», confessa D. Isabel. A dor de cabeça da duquesa vem depois: os filhos mais velhos já querem estar longe de casa na noite de réveillon, junto dos seus amigos.

«A primeira vez custa mais, mas depois tenho de pensar que é natural. Na verdade, nós também éramos assim. Vejo isto com muita naturalidade!», confidencia a duquesa de Bragança, com a sua simpatia habitual.
Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção