Nacional
Redação Lux em 5 de Janeiro de 2014 às 12:29
Eusébio: José Augusto destaca profissionalismo e humildade de lenda do país
Redação Lux em 5 de Janeiro de 2014 às 12:29
O ex-futebolista José Augusto destacou hoje (5) o profissionalismo e a humildade de Eusébio, mesmo depois de este se tornar uma «lenda no país» e uma «figura do futebol mundial», e considerou que Portugal lhe deve prestar uma grande homenagem.

José Augusto disse à agência Lusa ter recebido com «muita tristeza» a notícia da morte do «pantera negra», mas recorda a «vida cheia» que teve como jogador.

«Cumpriu todos os cargos que tinha que cumprir. Teve uma carreira excecional e ímpar. Tornou-se uma lenda do nosso país e deu-lhe um nome intransponível», afirmou.

José Augusto recorda o episódio da chegada de Eusébio à Luz, com 17 anos, tratando-o por «senhor»: «tive que lhe dizer que ali não havia senhores, que éramos todos iguais, mas ele era humilde e essa humildade manteve-se durante toda a sua carreira, mesmo quando se tornou uma figura do futebol mundial».

O antigo colega de Eusébio considera que o país tem a obrigação de prestar uma grande homenagem a Eusébio e que este tem direito à consagração.

«Morreu a um domingo o maior jogador de futebol de Portugal de todos os tempos e morreu no dia em que deu tantas glórias ao clube e aos portugueses», sublinhou.

Eusébio da Silva Ferreira morreu hoje às 04:30 vítima de paragem cardiorrespiratória, disse à agência Lusa fonte do clube.

O «Pantera Negra» foi eleito o melhor jogador do Mundo em 1965 e conquistou duas Botas de Ouro (1967/68 e 1972/73). No Mundial Inglaterra de 1966 foi considerado o melhor jogador da competição, na qual foi o melhor marcador, com nove golos.

Na mesma competição, Portugal terminou no terceiro lugar.

Eusébio nasceu a 25 de janeiro de 1942 em Lourenço Marques (atual Maputo), em Moçambique.

Lusa

Veja mais vídeos exclusivos em tvi24.pt
Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção