Nacional
Tribunal condena pais de Angélico a pagar indemnização de 552 mil euros
mãe do angélico
Redação Lux em 7 de Janeiro de 2019 às 12:28

O Supremo Tribunal de Justiça condenou Filomena Vieira e Milton Angélico, pais de Angélico Vieira, a pagarem uma indemnização a Armanda Leite, sobrevivente do acidente de viação que em 2011 provocou a morte do cantor.

Esta decisão vem contrariar a sentença do Tribunal da Relação do Porto, que já tinha ilibado os pais do cantor. Em 2017, Filomena Vieira e Milton Angélico, a Impocar, stand que emprestou o carro, e o Fundo de Garantia Automóvel, tinham sido condenados pelo Tribunal de Aveiro a indemnizarem Armanda Leite no valor de 1,5 milhões de euros.

No início de 2018 foi interposto um recurso e o Tribunal da Relação do Porto, que manteve a condenação das outras duas partes, absolveu Filomena Vieira e Milton Angélico, considerando que o rebentamento de um pneu foi a única causa do acidente. No entanto, o Supremo Tribunal confirmou a decisão da primeira instância e obriga todas as partes a dividirem o pagamento de uma indemnização de 552 mil euros, à ex-modelo. Na noite de 25 de junho de 2011, o carro que Angélico Vieira conduzia, um BMW que seguia a mais de 200 km/h na A1, despistou-se.

Além do cantor, que acabou por morrer no hospital depois de uma cirurgia de cinco horas, seguiam na viatura Hélio Filipe, que teve morte imediata, Hugo Pinto, que apenas teve ferimentos ligeiros, e Armanda Leite, com 17 anos na altura, que ficou paraplégica.

O Supremo concluiu que o despiste do automóvel decorreu do rebentamento do pneu, mas não ignorou a responsabilidade de Angélico Vieira, que seguia em excesso de velocidade, “entre os 206 e os 237 km/h”. 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção