Nacional
Redação Lux em 7 de Fevereiro de 2019 às 09:00
Vencedoras Personalidades Femininas Lux: As mulheres que marcaram 2018

Encerradas as votações, ficámos a conhecer as mulheres que marcaram 2018. Os leitores da Lux e os visitantes do site Lux.pt votaram e elegeram as personalidades femininas cujo talento e trabalho mais se distinguiram em 14 áreas profissionais, ao longo do ano passado.

As vencedoras, eleitas entre as 42 nomeadas, são agora reveladas, cumprindo aquela que já é uma tradição da Lux.

Revelação na Música, Bárbara Bandeira, com apenas 17 anos, venceu as veteranas Carminho e Mariza.  

Campeã de visualizações no YouTube, a cantora de “Nem sequer doeu”, “Como sou” e “Como eu” contou com o  apoio dos milhares de fãs que acorreram em massa para que ganhasse este troféu.

Também no Cinema, uma jovem estreante revelou-se: Daniela Melchior conquistou o público com a sua interpretação no filme “Parque Mayer”, deixando para trás Joana de Verona e Victoria Guerra, ambas também muito acarinhadas pelo público e pela crítica. Na categoria Teatro, aplausos para Maria Rueff. Com “Zé Manel Taxista, uma Comédia com Brilhantina”, a atriz celebra 20 anos de carreira coroados com mais esta distinção, que disputava com Maria João Luís e Rita Salema.

Já na Televisão (Ficção), Dalila Carmo conquistou com a sua personagem Júlia, em “Valor da Vida”, em que reviveu as suas origens e recuperou o sotaque do norte. Para trás, ficaram Maria João Bastos e Victoria Guerra.

Em matéria de Entretenimento, a irreverência e o sentido de humor de Filomena Cautela no programa “5 para a Meia-Noite” deram-lhe larga vantagem sobre Fátima Lopes e Leonor Poeiras, que disputavam a categoria.

O prémio personalidade feminina em Televisão (Informação) coube à jornalista da TVI24, Conceição Queiroz. Há 24 anos na TVI, a jornalista nascida em Moçambique, enfrentava duas ‘adversárias’ de peso: Clara de Sousa e Sandra Felgueiras, mas acabou por juntar este aos muitos galardões que já recebeu, da Unesco, da Liga Portuguesa Contra o Cancro e da AMI – Jornalismo Contra a Indiferença, graças ao seu trabalho de repórter e investigação.

Os romances históricos de Isabel Stilwell, nomeadamente o último “D. Maria I”
valeu à autora uma vitória segura na categoria Literatura, em que concorreu com Helena Sacadura Cabral e Rita Ferro. 

Desde que expôs as suas pinturas feitas num iPad, em 2012, Ana Mesquita não mais parou. Em 2018, inaugurou no antigo Picadeiro do Colégio dos Nobres, ao lado do Museu de História Natural e da Ciência, a sua maior exposição, “Temperamento”, uma experiência interativa em tributo a Amadeo de Souza-Cardoso. O reconhecimento da sua criatividade é coroado com este triunfo no grupo Artes Plásticas, para o qual estava nomeada juntamente com as artistas Fernanda Fragateiro e Maria Leal da Costa.

Na área de Moda, Isilda Moreira, que se estreou este ano na passerelle dos ‘anjos’ da Victoria’s Secret chegou e venceu. A manequim de ascendência cabo-verdiana conseguiu reunir mais votos do que a internacional Sara Sampaio, vencedora consecutiva deste troféu nos últimos anos, e que a conceituada hairstylist Helena Vaz Pereira.

Chegados ao Desporto, a Seleção Feminina de Futebol reuniu definitivamente a sua claque, que não parou de votar até eleger a equipa das quinas no feminino. As jovens concorriam com a Campeã Europeia dos 50 km de Marcha, Inês Henriques, e a Medalha de Ouro em Judo na Rússia, Telma Monteiro.

Assunção Cristas foi a vencedora da categoria Política. A presidente do CDS-PP, cargo que desempenha desde 13 de março de 2016, conseguiu o melhor resultado de sempre do CDS-PP quando foi candidata à Câmara de Lisboa nas autárquicas de 2017, manteve-se na dianteira nesta votação onde venceu Catarina Martins, líder do Bloco de Esquerda, e a antiga procuradora-geral da República, Joana Marques Vidal.

Ao lado de Paula Amorim e Sara do Ó, nomes de respeito ligados aos negócios, a premiada cientista Elvira Fortunato venceu ao ganhar uma bolsa de 3,5 milhões de euros para instalar um laboratório que se propõe a revolucionar o fabrico de circuitos integrados e componentes de eletrónica, sem recurso ao silício e explorando materiais amigos do ambiente.

A estreia da categoria Rádio nos prémios anuais da Lux não podia ter sido melhor acolhida com Vera Fernandes, das bem-humoradas “Manhãs da Comercial”, a arrecadar o maior número de votos numa luta renhida com Joana Cruz, do “Café da Manhã” da RFM e Vanda Miranda nas manhãs da M80.

A introdução da área Digital consagrou a vitória de Mariana Cabral e do fenómeno de popularidade Bumba na Fofinha. Na corrida seguiam também Bárbara Taborda, com o seu magazine digital barbara.pt, e Sofia Ramada Curto, a famosa fake blogger, que surpreende com as suas divertidas paródias às celebridades.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção