Nacional
Filha de Bruno de Carvalho escreve dura carta aberta à mãe
Ana Catarina Carvalho e Bruno de Carvalho Foto: DR
Redação Lux em 13 de Agosto de 2018 às 14:40

Ana Catarina Carvalho, a filha mais velha de Bruno de Carvalho, que tem 15 anos, publicou no Facebook uma extensa carta aberta dirigida à mãe, Irina Yankovich,  primeira mulher do antigo presidente do Sporting.

A carta surge em reação às declarações da bielorrussa de 44 anos que não tem poupado críticas a Bruno de Carvalho a quem acusa de ter impedido desde sempre o contacto com a filha.

A adolescente acusa a mãe de mentir, de a agredir e de vender-se por dinheiro.

"Nunca quis saber de mim e agora anda outra vez a vender-se por dinheiro, mas desta vez para dar entrevistas".

Carta aberta a uma mãe que nunca o foi...

Sabendo que a minha mãe vai dar a sua 3 entrevista e envergonhar-me, outra vez, com a sua loucura e mentiras, não consigo ficar mais calada. São meses a ver a figura ridícula que é a minha mãe e que ela anda a mostrar com "orgulho".

O meu pai nunca me escondeu nada. Sempre soube quem era ela, de onde vinha e o que fazia. Nunca me disse nada de mal para me colocar contra ela, nem me impediu de ter qualquer contacto com ela. Sempre fui livre de tomar as minhas decisões.

Faz meses que tinha a informação que um tal de João Bénard Garcia e um Pereira Cristovão andavam a oferecer dinheiro para ela vir dizer mal do meu pai, avó, de todos os que me amaram e me fizeram ser quem sou.

O meu pai ganhou a minha guarda total porque, por exemplo, o relatório do psiquiatra da altura sobre a minha mãe... nem quero falar disso. Nunca quis saber de mim e agora anda outra vez a vender-se por dinheiro, mas desta vez para dar entrevistas.

Se queres dizer a verdade vamos falar as duas das tareias que davas às tuas filhas, de forma como me violentavas quando eu era bébé e chorava ou o facto de nunca me teres ligado num aniversário ou seja no que for em 15 anos. Não prestas, como agora ainda pude perceber melhor, nem o tempo de te mudou.

Amo o meu pai, tenho um orgulho tremendo nele, na minha avó, na rapariga que me tornei...

Contigo tinha acabado vendida por um taxista, ou num hospital, de forma recorrente, pelas tareias que gostas de dar às tuas filhas.

Já agora o pai da tua filha Mónica sabe onde está a filha dele ou fugiste com ela?

Não és nada a não ser alguém que se vende por um punhado de euros...

Faz quase 12 anos o tribunal decidiu e está decidido: guarda total para o meu pai, mesmo tendo tu contado todas as mentiras que tens dito nestas entrevistas...

Ganha vergonha pois de 3 filhas já perdeste a mais velha, eu e a Mónica, mal possa, não acredito que vá ficar ao teu lado.

Que duro é ter uma mãe deste baixo nível, mas que sorte Deus me deu em me dar um pai e uma avó que sempre conseguiram tirar essa mágoa dentro de mim.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção