Nacional
Tribunal dá razão a César Peixoto e obriga Isabel Figueira a cumprir acordo
Isabel Figueira perde pensão de alimentos - Capa Lux 910
Redação Lux em 17 de Outubro de 2017 às 11:42

Dias antes de entrar no novo reality show da TVI, Isabel Figueira ficou a conhecer a sentença do Tribunal de Família e Menores de Cascais, que a obriga a cumprir o acordo de regulação de poder paternal de Rodrigo, decisão que põe fim a um longo processo com César Peixoto.

Tal como pretendia, o antigo jogador vai poder estar mais presente no dia a dia da vida do filho mais velho, de 11 anos, que a partir de agora passa metade do mês com a mãe e metade com o pai.

Desta forma, a atriz deixa de ter direito a receber pensão de alimentos do ex-marido. O caso remonta a 2015, na sequência de uma ação que César Peixoto interpôs contra Isabel Figueira para “obrigar” a ex-mulher a cumprir o acordo de regulação de poder paternal de Rodrigo, estabelecido em 2011.

O regime, outorgado por ambos e homologado pelo tribunal na altura, estabelecia um regime de visitas partilhado e alternado que não estava a ser cumprido há vários anos. Quando foi jogar para o Gil Vicente, em janeiro de 2012, o então ainda jogador de futebol achou que o regime não era viável para o bem-estar do filho. César passou a viver a 400 quilómetros de Isabel Figueira e se Rodrigo passasse metade do mês em casa da mãe e metade em casa do pai seria obrigado a alterar todas as suas rotinas escolares e familiares. O jogador não queria que o filho sofresse tamanha violência emocional e física e quis evitar essa gigantesca mudança no seu dia a dia.

Durante esse período, César Peixoto passou a ficar com o filho de 15 em 15 dias e vinha a Lisboa ver Rodrigo sempre que a sua vida profissional o permitia. Porém, quando deixou de jogar no clube de Barcelos, César passou a viver a tempo inteiro na capital com a namorada, Diana Chaves, e a filha de ambos, Pilar, de 5 anos.

Nessa altura, estavam reunidas todas as condições para retomar o regime estipulado pelo tribunal e o antigo jogador quis reinvindicar os seus direitos, mas sem sucesso.

Tal como a Lux escreveu em 2015, a sua advogada tentou chegar a um entendimento com Isabel Figueira fora dos tribunais, para que a adaptação de Rodrigo às novas rotinas, que passariam a ser divididas entre a casa do pai e a da mãe, fosse gradual.

A manequim recusou todas as formas de entendimento amigável e César Peixoto decidiu que só lhe restava avançar para a via legal para forçar a ex-mulher a cumprir o acordo. Foi nessa ocasião que o ex-jogador confidenciou à Lux que a sua intenção não era pedir a guarda do filho nem retirá-lo do convívio com a mãe, mas sim garantir o cumprimento do seu direito legal a estar com o filho. Apenas queria exercer na plenitude os seus direitos de pai e prometia lutar até ao fim por Rodrigo. “A verdade é que tenho feito um esforço silencioso, ao longo de muitos anos, para lutar pelo direito básico de poder conviver com o meu filho e acompanhar o seu crescimento. A imagem de um pai ausente e desinteressado, que a mãe do meu filho tem tentado construir sobre mim, é totalmente falsa e em nada corresponde à verdade, pelo que não poderei, com o meu silêncio, compactuar com tamanha barbaridade. O meu objetivo nunca foi a guarda exclusiva do meu filho. Almejo unicamente a felicidade dele, e acredito que ela só será alcançada na companhia de ambos, em harmonia”, explicou na altura César Peixoto, em comunicado.

O desejo do comentador desportivo foi concretizado pelo tribunal, dias antes de Isabel Figueira entrar no reality show, “Biggest Deal”. Uma vitória na Justiça para César Peixoto, que, após vários anos de luta, vê os seus direitos reconhecidos.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção