Nacional
Saúde: Diagnóstico precoce de artrite reumatóide permite poupanças anuais de 51 milhões de euros
Artrite reumatóide
Redação Lux em 6 de Dezembro de 2017 às 18:08

O diagnóstico precoce da artrite reumatóide, nos primeiros seis meses após o início de sintomas, é crucial para a minimização dos impactos ao nível da qualidade de vida do doente e dos custos para a sociedade, uma vez que permite modificar a evolução da doença, prevenindo o dano estrutural – 90% dos doentes têm erosões ósseas ao fim de 2 anos –, a incapacidade funcional/ laboral, a dependência de terceiros e a mortalidade precoce.

O aumento do diagnóstico precoce, em Portugal, pode induzir uma poupança média anual por cada novo caso de 30%, o que representa uma poupança de cerca 1,8 mil euros por novo caso precoce.

Assumindo que o número de casos diagnosticados em Portugal se mantém constante nos 40.000 e que simulando que 75% do total de casos poderia ter no futuro um perfil de diagnóstico precoce, passaríamos de um custo global com a Artrite Reumatóide de 173,7 milhões de euros para 120,7 milhões de euros, traduzindo-se numa poupança estimada anual de 53 milhões de euros.

O estudo realizado pela PwC Portugal considera um investimento de 1,7 milhões de euros em iniciativas promotoras do aumento do diagnóstico precoce para gerar uma poupança estimada anual seria de 51,3 milhões de euros.

O aumento do número de especialistas e dos serviços de reumatologia no Serviço Nacional de Saúde e a diminuição das desigualdades de acesso regional e dos tempos de espera são algumas das iniciativas sugeridas.

O estudo identifica ainda a necessidade de disponibilizar ferramentas de apoio aos meios dos cuidados de saúde primários, acompanhadas do aumento das acções de sensibilização da população de risco, alertando-a para os sinais e sintamos da Artrite Reumatóide e para a importância do diagnóstico precoce.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção