Nacional
Redação Lux em 20 de Julho de 2018 às 13:00
Boom Festival regressa a Idanha-a-Nova
1/4 - Boom Festival Foto: Divulgação
2/4 - Boom Festival Foto: Divulgação
3/4 - Boom Festival Foto: Divulgação
4/4 - Boom Festival Foto: Divulgação

O Boom Festival está de regresso aos 150 hectares da Boomland, em Idanha-a-Nova, no próximo domingo, 22 de julho, prolongando-se por uma semana, até 29.

A 12ª edição do evento que, de dois em dois anos, transforma a margem direita da Albufeira de Idanha no paraíso na terra, conta este ano com boomers de 147 nacionalidades, que correspondem a 85% do público aguardado. A Costa Rica é o país convidado desta edição.

O evento bienal de cultura independente que, desde 1997, se realiza na lua cheia de julho ou agosto, é uma referência internacional. Multidisciplinar, transgeracional e intercultural, o Boom tem um impacto social, económico e cultural enorme no Interior do país.

“O Boom Festival é um dos principais ativos de Idanha-a-Nova enquanto Cidade da Música, no âmbito da Rede de Cidades Criativas da UNESCO. Tem dado um contributo essencial para o sucesso da estratégia de desenvolvimento do município, por todo o valor que cria na região, direta e indiretamente. Podemos referir a criação de riqueza e emprego, toda a inovação em termos de práticas de sustentabilidade ambiental e social ou a projeção internacional muito positiva – diria mesmo inexcedível – de Idanha e de Portugal”, sublinha Armindo Jacinto, presidente da Câmara de Idanha-a-Nova.

A promoção da sustentabilidade ambiental é um dos grandes pilares do Boom Festival, membro da iniciativa “United Nations Music & Environment Stakeholder” desde 2010, a convite da UNEP – United Nations Environment Programme, organismo pertencente à ONU, e distinguido em 2008, 2010, 2012, 2014 e 2016 com o “Outstanding Greener Festival Award”, o prémio mundial mais importante de eventos sustentáveis atribuído por “A Greener Festival”.

Deste modo, 80% dos fornecedores do festival são locais e grande parte deles são produtores biológicos. Ora, “em 2018, Idanha-a-Nova tornou-se na primeira Bio Região Portuguesa a integrar a Rede Internacional de Bio Regiões. A dinamização da agricultura biológica e a oferta de produtos e serviços ecológicos estão na origem desta distinção e são áreas em que o Boom Festival é uma bandeira de renome internacional e funciona, muitas vezes, como referência para projetos que apostam em práticas de sustentabilidade”, atesta Armindo Jacinto.

Joaquim Morão estima mesmo que o evento movimente “aproximadamente 12 milhões de euros em cada edição, gerando um impacto na economia nacional a rondar os 35 milhões de euros”. Seja ao nível da hotelaria e restauração, seja ao nível do comércio em geral, o antigo autarca recorda que, durante o evento, muitas empresas reforçam o número de funcionários para responder ao aumento de solicitações.

 

 

 

 

 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção