Nacional
Tribunal afasta editora do processo de Tony Carreira
Tony Carreira - Festa de Comida Continente no Parque da Cidade do Porto 02.07.17 Foto: Álvaro C. Pereira/Lux
Redação Lux em 28 de Março de 2018 às 12:56

O Tribunal de Instrução Criminal (TIC) de Lisboa afastou Companhia Nacional de Música do processo em que Tony Carreira é acusado de plágio, justificando que a editora deixou de ter legitimidade para se manter como assistente nos autos.

A decisão surge na sequência de um requerimento apresentado pela defesa de Tony Carreira que pedia a perda pela CNM [Companhia Nacional de Música] da qualidade de assistente  a suspensão provisória do processo, mantendo válido o acordo assumido em novembro do ano passado. O TIC de Lisboa deu razão ao cantor devido “à desnecessidade da concordância” da editora p

Recorde-se que a  27 de novembro, todas as partes aceitaram o acordo, proposto pela juíza, que previa a suspensão provisória do processo durante quatro meses, na condição de, no prazo de 60 dias, Tony Carreira doar 10.000 euros à Câmara da Pampilhosa da Serra, para apoio aos danos causados pelos incêndios, e mais 10.000 euros à Associação das Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande.

Contudo, o proprietário da CNM ao TIC de Lisboa, Nuno Rodrigues, logo a seguir, rejeitou o acordo. 

 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção