Nacional
Joaquim de Almeida é o candidato português ao Prémio Carreira Ibero Americano
Joaquim de Almeida - Cocktail IWC Portugieser 09.07.15 Foto: Ricardo Santos/Lux
Redação Lux em 29 de Setembro de 2017 às 14:00

Joaquim de Almeida é o candidato português ao Prémio Carreira Ibero Americano (Prémio Fénix a la Trayectoria).

A escolha foi feita pela direção da Academia Portuguesa de Cinema, como reconhecimento pelo seu curriculum ímpar, ao longo de 4 décadas.

Este Prémio foi criado em 2013 com o objetivo de projetar o cinema ibero-americano no mundo e reconhecer o trabalho daqueles que se dedicam às artes cinematográficas na América Latina e na Península Ibérica.

O vencedor será divulgado no Festival de Cinema de Morelia, a 22 de outubro, no México. A cerimónia de entrega deste Prémio acontecem habitualmente no México e conta com a presença de mais de 500 convidados, entre diretores, produtores, atores e atrizes, personalidades da cultura, celebridades do mundo do espetáculo e convidados especiais.

Joaquim de Almeida nasce em Lisboa em março de 1957. É o sexto de oito filhos de dois farmacêuticos, mas cedo mostra sinais de que não pretende seguir as pisadas dos pais. Aos 18 anos entra no Conservatório Nacional que abandona em 1974 para continuar os estudos na Áustria. Em 1976 muda-se para Nova Iorque e em 1977 é admitido no prestigiado Lee Strasberg Theatre and Film Institute, uma escola de reconhecida notoriedade frequentada por atores como Robert De Niro e Al Pacino.

Para pagar esses estudos trabalha num bar, do qual haveria de ser gerente, o La Gamelle. Segundo o ator o espaço era frequentado por mafiosos de Nova Iorque, numa época anterior à gestão de Rudolph Giuliani, quando a máfia italiana ainda controlava a cidade. Essa experiência foi uma espécie de ensaio antropológico que lhe serviria para desempenhar os vários papéis de mau da fita, que tanto o caracterizaram.

A sua carreira no cinema começa com The Soldier, rodado em 1982, a que se segue o primeiro papel importante em 1983, no filme The Honorary Consul, no qual contracena com Michael Caine, Richard Gere e Bob Hoskins. Segue-se  Good Morning, Babylon, um filme dirigido pelos Irmãos Taviani, que abriu o Festival de Cannes de 1987, e que tem um enorme impacto na sua carreira.

Fluente em seis línguas, atuou em diversos países, como Portugal, Inglaterra, Espanha, França, Itália, Brasil, Argentina e Alemanha, tendo participado em inúmeros filmes e séries de TV.

Apesar de se ter naturalizado norte-americano em 2005, Joaquim de Almeida manteve sempre uma presença regular no cinema português. Destacam-se as suas atuações nos filmes Capitães de Abril, Um Tiro no Escuro, Os Imortais ,Call Girl e Contraluz. Ganhou três Globos de Ouro (Portugal), de Melhor Ator em Tentação (filme), Adão e Eva e A Samba de Sherlock (filme).

Em televisão, participou nas séries americanas como Miami Vice, Crusoe, o Mentalista, Missing e  CSI: Miami.

Fez de vilão Bane no desenho animado Batman,  no videojogo Saints Row e no filme The Chronicles of Riddick: Escape from Butcher Bay.

Ao longo da sua longa carreira ganhou inúmeros prémios nacionais e internacionais, designadamente de Melhor Ator, no Cairo Film Festival 1991, Globo de Ouro Melhor Ator Portugal 1995,1997,2001, Prémios SAG - Melhor conjunto 2005, Presença estrangeira portuguesa - Personalidade do ano de 1995, Prémio Carreira no Festival Cinema de Badajoz 2004, Prémio Festival Ibero-americano de Huelva 2009, Prémio Carreira do Festival de Cinema de Punta del Este 2003.

Foi também condecorado com a Medalha de Ouro da Cidade de Sintra, em 2008, Medalha de Ouro da Cidade de Setúbal, em 2006 e Ordem do Infante, em 1992.

 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção