Nacional
Novo álbum de Hélder Moutinho editado segunda-feira
Hélder Moutinho - A cor dos olhos
Redação Lux em 26 de Janeiro de 2013 às 11:35
O novo álbum do fadista Hélder Moutinho, «1987», foi gravado no Palácio dos Marqueses de Tancos, no bairro lisboeta da Mouraria, e é editado na segunda-feira.

A escolha do espaço é justificada pelo fadista por reunir «excelentes condições ambientais e acústicas».

O desafio partiu do produtor do álbum, Frederico Pereira, que propôs a Hélder Moutinho a captação dos instrumentos e da voz fora do ambiente habitual de estúdio, num espaço com várias salas com o fito de «captar efeitos acústicos» numa sala, noutra os instrumentos e numa terceira a voz do fadista.

O álbum divide-se em quatro capítulos, cada um com quatro letras de um poeta diferente, e ainda um «post scriptum» que é o fado «Bia da Mouraria», de autoria de Fernando Tordo.

Hélder Moutinho assina os quatro fados que integram o primeiro capítulo, «Os dias da liberdade», ao qual se segue «Luto de uma relação» com quatro fados de autoria de José Fialho Gouveia.

O terceiro capítulo, «Histórias de um desencontro», é da responsabilidade de João Monge e «Maria da Mouraria» com temas assinados por Pedro Campos, o mesmo autor de «Montras», uma criação de Mariza.

A maioria das composições são originais tendo o fadista registado apenas duas melodias tradicionais, o Fado Menor (popular) e o Esmeraldinha, de Júlio Proença.

As composições inéditas são assinadas por autores como João Gil, Marco Oliveira, Frederico Pereira e o próprio Hélder Moutinho. Pedro Campos assina todas as músicas das suas letras.

Segundo o fadista, o álbum conta «quatro histórias independentes», assumindo o primeiro capítulo como «autobiográfico».

Hélder Moutinho é acompanhado por Ricardo Parreira na guitarra portuguesa, Marco Oliveira na viola e Fernando Araújo no baixo acústico.

Desde 2009 que Hélder Moutinho não gravava um disco, confirmando com «1987» uma característica da sua carreira que é gravar um álbum por quadriénio. Quanto à escolha do número 1987, corresponde a um ano importante para o fadista.

«O ano de 1987 foi aquele em que consolidei uma série de valores que me permitiram crescer e tornar-me o homem que sou hoje», enfatizou Hélder Moutinho.

Hélder Moutinho, 43 anos, gravou o primeiro álbum, «Sete fados e alguns cantos», em 1999, cinco anos depois da sua estreia como fadista. Em 2005 recebeu o Prémio Amália para o Melhor Álbum pelo CD «Luz de Lisboa», editado pela Ocarina.

Além de intérprete e poeta, cantado por outros fadistas, nomeadamente Maria Amélia Proença, Joana Amendoeira ou Marco Oliveira, é também produtor musical e agente artístico, organizando, entre outros eventos, as noites de fado no Castelo de S. Jorge, em Lisboa, por ocasião das Festas da Cidade.

Lusa
Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção