Nacional
Cláudio Ramos elogia Júlia Pinheiro por falar sobre a doença da filha
Com Júlia Pinheiro - Claudio Ramos lança «O Amor Não é Isto» Foto: João Cabral/Lux
Redação Lux  com CSS em 30 de Outubro de 2015 às 18:11

No seu blogue, Cláudio Ramos fez questão de elogiar a coragem de Júlia Pinheiro, que esta manhã revelou aos telespetadores que uma das filhas está internada devido a uma anorexia nervosa.

Em direto, no programa  "Queridas Manhãs", da SIC, a apresentadora  decidiu abrir o coração e confessar que a sua família está a atravessar uma fase difícil.

"... 'Há cerca dez anos na minha vida e na vida da minha família entrou uma doença difícil...' foi com esta frase que Júlia Pinheiro abriu o coração e contou hoje, no seu programa, o complicado momento que vive. Uma das suas filhas está internada vitima de anorexia nervosa. Júlia, disse que não iria falar mais desta situação, e que antes de comunicar o que se passa falou com a filha que a autorizou. Júlia fez aquilo que todos deveriam fazer. Deram, ao público que os segue, a explicação por, em determinado momento, terem o coração mais apertado. Atrás de si, a equipa (parte dela) dos muitos que todos os dias trabalham ao seu lado, e que de forma discreta, atenta, preocupada, tem acompanhado o rosto da apresentadora. Profissional, porque é preciso manter-se de pé, firme, decidida, mas mãe. Uma mãe não se separada nunca do seu papel. Terá sido um dos mais complicados momentos na vida profissional de Júlia. Expor-se perante a câmara, onde todos os dias alegra e acorda Portugal. Despir-se de autoridade e ser apenas uma mãe igual a tantas outras, que acabarão por se rever no seu testemunho. A voz trémula, os olhos a esforçarem-se para que não revelassem em público, as lágrimas que entretanto já terão revelado na intimidade. As mãos tremiam-lhe e procuravam apoio. Teve que ser difícil. Ainda que amparada por todos os seus. O problema é dela, é carregado ao colo por ela e pela sua família. É a sua filha. Eu, sentado ali num canto, junto a muitos dos meus colegas, senti orgulho e senti-me impotente. Orgulho da coragem que Júlia teve ao fazer isto, que eu defendo que todas as pessoas mediáticas deveriam fazer, antecipando-se assim a um pior cenário, que a imprensa poderia traçar. Desta maneira, sabe-se a verdade da boca da protagonista. E senti impotência, porque vejo ali um coração de mãe apertado sem poder fazer nada. O coração da minha diretora, da minha colega, da Júlia bem disposta e com mau feitio quando alguma coisa não corre bem, hoje estava vulnerável, mas num ato de coragem, que todos devemos agradecer e enaltecer, a apresentadora deu lugar à mãe que, decidida, remata com 'Ela (a filha) vai conseguir e nós como família também'. E nós, como amigos, apostamos que sim. Obrigado Júlia!", pode ler-se.


 
Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção