Nacional
Redação Lux em 14 de Junho de 2017 às 18:30
Fotos: João Gil reúne vários nomes da música portuguesa em novo disco

Há pessoas que acham que sou maluco, mas tive esta visão há uns anos”, diz João Gil, sobre a ideia de fazer um disco que juntasse vozes consagradas e promissoras da música portuguesa.

A ideia ganhou forma e, aos 40 anos de carreira, o músico conseguiu pôr novos artistas a interpretarem alguns dos seus clássicos e veteranos a cantarem inéditos.

“Se não eram amigos, vão passar a ser. Mas, acima de tudo, é uma grande família de pessoas que se admiram”, explica à Lux, feliz por reunir tantos músicos no dia da apresentação do novo álbum, “João Gil Por…”.

“Ele faz parte da história musical portuguesa e dos projetos mais conceituados. Daí se vê a genialidade que tem. Gostei imenso de ter participado no álbum”, revela João Pedro Pais.

Para o cantor, foi muito fácil trabalhar com o compositor: “O João é carismático. É um bonacheirão, para quem está sempre tudo bem, uma boa onda. Ao contrário de mim, é imensamente calmo.”

Carlos do Carmo também entra no novo disco, dando voz a um tema em francês. “O João é multifacetado, nunca está quieto e nunca está satisfeito com o que está a fazer. Acho isso sensacional”, avalia o fadista.

Admiradora do artista é obviamente a sua mulher, Ana Mesquita. “Acho que me tornei mais fã com o passar do tempo. Há 11 anos, quando comecei a viver com ele, já gostava muito do seu património, mas a viver com ele e a descobrir esta pessoa que é tão congregadora, que junta naturalmente os grandes músicos, causa-me uma admiração ainda maior. Ele tem uma característica rara num país pequenino, com tantos egos, que é a sua informalidade e o facto do seu talento ser tão unanimamente consensual.” 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção