Nacional
Redação Lux  com CSS em 31 de Maio de 2016 às 11:07
José Cid: "Provavelmente, devia cantar mais e falar menos"
1/6 - Concerto de José Cid no Campo Pequeno 12.12.15 Foto: Salvador Esteves/Lux
2/6 - Nuno Markl - Festa da Comercial 02.04.16 Foto Salvador Esteves/Lux
3/6 - José Cid Foto: DR
4/6 - Concerto de José Cid no Campo Pequeno 12.12.15 Foto: Salvador Esteves/Lux
5/6 - Nuno Markl - Festa da Comercial 02.04.16 Foto Salvador Esteves/Lux
6/6 - Nuno Markl - Lançamento Campanha Eyezen Essilor Foto: Divulgação
Redação Lux  com CSS em 31 de Maio de 2016 às 11:07

 

José Cid utilizou as redes sociais para pedir desculpa publicamente ao povo de Trás-os-Montes, depois de ter tido cancelado um concerto em Alfândega da Fé por declarações proferidas há 6 anos, num programa do Canal Q, conduzido por Nuno Markl, onde disse que os transmontanos eram medonhos, feios e desdentados.

"Após os últimos acontecimentos, venho mais uma vez pedir desculpa pelo que eu disse em relação a Trás-os-Montes. Admito que nunca o deveria ter dito. Estive mal, e por isso pedi e peço desculpa publicamente. Agora receber ameaças de morte quer para mim quer para a minha família é que já não posso aceitar. Parece que nunca nenhum de vocês errou. Errar é humano e eu errei e admiti e por isso peço desculpa. (...) Agora também peço que não se esqueçam que eu apesar de ter errado com o que disse, também sou sempre o 1º a ajudar quem precisa com os meus concertos de solidariedade (que felizmente já fiz vários em Trás-os-montes). Não me julguem somente por algo negativo que eu fiz sem se esquecerem do bem que tenho praticado. Desculpem.", escreveu o músico, de 74 anos, no Facebook.

Em declarações à TVI, José Cid admitiu: "Provavelmente, devia cantar mais e falar menos".

Nuno Markl, que na altura conduziu o programa, também utilizou as redes sociais para comentar a polémica.

"Amigos de Trás-os-Montes: se isto serve para alguma coisa, peço-vos desculpa por me ter rido dos desvarios do Cid no Canal Q há tantos anos. Se não servir para nada - porque toda a gente prefere a guerra do que a paz, nas redes sociais - tudo o que posso dizer é que continuarei a gostar de Trás-os-Montes como gostei toda a minha vida até aqui. Se me quiserem bater ou insultar, é convosco. Não vou entrar em guerra com pessoas de quem sempre gostei. É triste perceber que por causa de uma velha entrevista com o José Cid - em que me ri do que ele disse, porque é impossível uma pessoa não se rir com os delírios dele - sou o novo alvo a abater do Facebook, e por parte dos transmontanos, portugueses contra os quais nada tenho, só a favor. Mas pronto - é o suficiente: estou a ser mais atacado que o próprio autor das afirmações. De bestial a besta, tudo muito rápido e pronto-a-comer e nada profundo. Talvez seja esta gota de água o que me fará acabar de vez com esta página e cortar relações com o Facebook. Amanhã falarei disto no Homem Que Mordeu o Cão, na Comercial, e tomarei uma decisão nessa altura.", escreveu.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção