Nacional
Cátia Soares em 29 de Julho de 2016 às 11:27
Letícia Spiller: "Sou a favor da cirurgia, mas sem exageros"
1/12 - Letícia Spiller Foto: João Cabral/Lux
2/12 - Letícia Spiller Foto: João Cabral/Lux
3/12 - Letícia Spiller Foto: João Cabral/Lux
4/12 - Letícia Spiller Foto: João Cabral/Lux
5/12 - Letícia Spiller Foto: João Cabral/Lux
6/12 - Letícia Spiller Foto: João Cabral/Lux
7/12 - Letícia Spiller Foto: João Cabral/Lux
8/12 - Letícia Spiller Foto: João Cabral/Lux
9/12 - Letícia Spiller Foto: João Cabral/Lux
10/12 - Letícia Spiller Foto: João Cabral/Lux
11/12 - Letícia Spiller Foto: João Cabral/Lux
12/12 - Letícia Spiller Foto: João Cabral/Lux

 

Letícia Spiller está em melhor forma do que nunca, graças ao Pilates, à dança, a ritos tibetanos, a uma dieta sem glúten e a intervenções cirúrgicas comedidas, que assume sem pudores. Mãe de Pedro, de 18 anos, fruto do casamento com o ator Marcello Novaes, e de Stella, de 5, da relação com o diretor de foto­grafia Lucas Loureiro, a atriz esteve em Portugal e conversou com a Lux durante um passeio pelo centro histórico de Lisboa.

Lux – Acredita que a cada sete anos a sua vida muda de ciclo. Quer explicar-nos melhor?
Letícia Spiller – Sim, acho que estou num “sexto setênio” [dos 35 aos 42 anos], que é muito considerável na vida de uma mulher. É o auge da feminilidade, o auge da mulher. Estou a viver muita coisa boa, tanto profissional como emocionalmente. Acho que é um ciclo muito significativo.

Lux – Quais são os segredos da sua boa forma física?
L.S. – Não dá para deixar de fazer exercício. Faço Pilates e aulas de dança, e pratico os cinco ritos tibetanos, inspirados no livro “A Fonte da Juventude”. Na verdade, são seis ritos, mas, como sou jovem, não consigo praticar o sexto, que é a abstinência sexual! [risos] Depois, há aquele ritual de tirar a maquilhagem, que dá preguiça e é um pouco chato, mas não durmo sem a tirar. Tiro sempre, limpo a pele, hidrato e coloco protetor.

Lux – Tem algum cuidado especial com a alimentação?
L.S. –
Pela primeira vez na vida, aos 40 anos, fui ao nutricionista porque comecei a ter má digestão e taquicardia, numa altura em que produzi uma longa-metragem ao mesmo tempo em que estava a fazer uma novela. Percebi que várias coisas que comia me faziam mal. O organismo não estava a absorver os minerais. Então, excluí o glúten, algumas leguminosas, feijão e lentilhas, que adoro mas não posso comer, e melhorei muito.

Lux – Como é a sua relação com a cirurgia estética? Muda­ria alguma coisa?
L.S. –
Sou a favor, mas só se for sem exageros, sem mudar muito a fisionomia. Talvez um bumbum maior, uma sobrancelha mais afiada... No dia em que se faz a cirurgia, é assustador, mas tudo passa... Acho que se tem de ter cuidado, para não exagerar. Só coloquei próteses aos 39 anos, porque já tinha amamentado dois filhos e tinha pele a sobrar. Ficou supernatural! O meu medo era que não ficasse. Só pedia ao médico: ‘Eu quero que fique um pouco descaído, igual a um peito normal.’ A beleza natural é sempre mais bonita. Se for para fazer um lifting, então que seja muito delicado.

Lux – Lida bem com o envelhecimento?
L.S. –
Por enquanto, está tudo bem. Agora, procuro mais fazer terapia, para não ter de alugar o ouvido de alguém [risos], mas espero envelhecer bem. Gosto muito da Fernanda Montenegro, da Nicette Bruno e da Rosamaria Murtinho. Gostaria de chegar assim [à velhice], como elas. Agora eu estou bem, ‘boa pinta’, como dizem... [risos] Se Deus me permitir trabalhar até à idade delas, vai ser uma bênção. Elas têm uma energia maravilhosa. Amo estas três mulheres, e espelho-me muito nelas. 

Lux – Como é a Letícia enquanto mãe?
L.S. –  
Sou muito mãe, muito presente. Adoro estar com os meus filhos, educá-los, estar próxima. Eles já cresceram com esta mãe que trabalha muito desde cedo, estão acostumados à minha rotina, mas faço questão de poder ir buscar a minha filha à escola e de ajudá-la nas primeiras tarefas. Talvez ela seja mais parecida com a mãe, por ser doce, feminina e muito meiga, mas com personalidade. O Pedro está mais virado para a música do que para representar.

Lux – E aqui em Portugal, sente-se acarinhada?
L.S. –
Sim! Vários portugueses pedem-me para tirar fotos e dão-me os parabéns pelo meu trabalho. Já vim cá várias vezes: para namorar [risos] e duas ou três vezes em trabalho. Gostaria de conhecer mais, até porque tenho antepassados portugueses, por parte do meu pai.

 

 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção