Nacional
Vanessa Barros Cruz em 12 de Setembro de 2016 às 10:00
Miguel Monteiro: "Ser ator é dificílimo. Eu fico destruído se faço uma má cena"

Entrevista exclusiva na edição 853 da sua Lux. Saiba como pode assinar a revista ou adquiri-la em formato digital,  clicando aqui!

O currículo exibia experiências como a integração da equipa que fundou a TSF. Mais tarde a SIC. Mas, ao 42 anos, Miguel Monteiro, hoje com 51, bateu com a porta do jornalismo e começou a criar a sua própria entrada no mundo da ficção.

Deixou-se seduzir pela representação, não tivesse sido ele o primeiro jornalista português a fazer a cobertura da cerimónia dos Óscares. E hoje não se fica pelos trabalhos de ator.

Faz também produção e organiza eventos à volta da sétima arte. Este ano conta já com o seu nome em vários projetos, destacando-se a participação num filme de Fanny Ardant, no qual contracenou com Gerard Depardieu, uma longa-metragem de André Badalo e o seu regresso ao elenco principal das telenovelas em "Amor Maior", onde veste a pele de um polícia da Judiciária.

"Ser ator é dificílimo. Eu fico destruído se faço uma má cena", confidenciou à Lux.

Veja as fotos!

 

 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção