Internacional
Após acusações de violência doméstica, Mickey Madden, baixista dos Maroon 5, afasta-se do grupo
Maroon 5 - 2016 American Music Awards em Los Angeles 20.11.16 Foto: Reuters
Redação Lux em 15 de Julho de 2020 às 18:00

Alguns dias após a revelação de sua prisão relacionada incidente doméstico, Mickey Madden, baixista dos Maroon 5, anunciou que deixa o grupo temporariamente.

Numa curta declaração, publicada pelo site da People, Mickey Madden revela que não quer "incomodar" ainda mais os seus companheiros em Maroon 5, grupo liderado por Adam Levine.

"Há coisas com as quais tenho que lidar e lidar agora, então decidi tirar uma licença dos Maroon 5 até novo aviso. Durante esse período, não quero incomodar os meus parceiros.. De coração, desejo o melhor"

O baixista dos Maroon 5, Michael "Mickey" Madden, foi preso por violência doméstica, no dia 27 de junho, em Los Angeles.

O músico de 41 anos foi libertado poucas horas depois em troca de uma fiança de 50 mil dólares mas será responsabilizado perante o tribunal no próximo dia 29 de setembro.

"Estamos profundamente decepcionados com esta notícia. Quanto mais aprendemos, mais esperamos para ver como esses eventos evoluirão. Por enquanto, estamos a dar a todos os envolvidos o tempo que eles precisam para resolver os seus problemas", comunicaram os Maroon 5 - atualmente compostos por Adam Levine, Jesse Carmichael, James Valentine, Matt Valentine, Matt Flynn, PJ Morton e Sam Farrar.

Esta não é a primeira vez que Mickey Madden enfrenta a justiça. Em janeiro de 2016, o baixista de Austin, Texas, foi preso depois de dar cocaína a James Gubelmann - ex de Ivanna Trump - ao ar livre, em frente a um bar em Manhattan.

Foi acusado de posse de substâncias ilícitas e aceitou um acordo com base em  serviço comunitário para retirar as acusações.

 

 

 

 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção