Internacional
Redação Lux em 15 de Novembro de 2019 às 09:00
Julia Roberts: 'Os empregos não se casam. As pessoas casam-se'

Julia Roberts é a protagonista da nova campanha outono/inverno da Calzedonia 19-20 Legwear. Na nova campanha, filmada em  Verona, local de nascimento e sede do Grupo Calzedonia, a atriz, que no dia 28 de outubro comemorou o seu 52º aniversário,  mostra-se versátil, interpretando vários tipos de mulher em cada cena.

A atriz, que se consagrou em Hollywood com o filme Pretty Woman (1990) e venceu o Óscar de melhor atriz pela sua interpretação como Erin Brockovich, em 2001, tornou-se uma das mais acarinhadas celebridades do mundo.

A par dos sucessos na carreira, Julia Roberts viveu vários romances. Entre os mais conhecidos, destaca-se o namoro como ator Kiefer Sutherland, o casamento de dois anos com o músico Lyle Lovett  ou a relação com o ator Benjamin Bratt. Mas encontrou o seu parceir para a vida em Danny Moder, que era  ‘cameraman’ quando se conheceram no set do filme “A Mexicana”, em 2000.

Na altura, Moder era casado com a maquilhadora Vera Steimberg Moder, de quem se divorciaria mais tarde. Julia Roberts e Danny Moder casaram-se numa cerimónia ao luar no dia 4 de julho de 2002 e refugiam-se longe do glamour de Los Angeles, num rancho a norte do Novo México, com os três filhos; Hazel Patricia e Phinnaeus, de 14 anos e Henry de doze.

“Tenho muita sorte de ser loucamente feliz na minha vida. E não é tanto porque seja  mais feliz agora do que nunca; é que estou mais contente. Cheguei ao porto da minha vida”- confessou a Oprah Winfrey numa entrevista intimista dirigindo palavras de amor ao marido - “Uma grande parte dessa felicidade é o meu casamento. O meu marido, Danny, realmente fez a luz brilhar para mim. Por ser casada, conheci pessoas e experimentei todas essas pequenas coisas que nutriram a minha vida - nem tanto a mudaram, apenas a nutriram de uma maneira que é surpreendente”.

Julia Roberts contraria a teoria de que uma pessoa rica e famosa não se pode casar com alguém que não é tão famoso e ter uma vida “normal” e feliz. “Os empregos não se casam. As pessoas casam-se. Parece clichê e eu já disse isso mil vezes, mas acho que sou fundamentalmente a mesma pessoa relativamente simples que sempre fui. Eu só tenho este trabalho chamativo e maluco que confunde as pessoas e as leva a pensar que eu sou de alguma forma ultrafascinante”, evidencia a atriz.

 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção