Internacional
Ashton Kutcher chamado a testemunhar em julgamento de homicídio
Mila Kunis e Ashton Kutcher assistem ao jogo entre os Los Angeles Clippers e os Detroit Pistons no Staples Center Foto: Reuters
Redação Lux em 30 de Maio de 2019 às 18:00

O ator Ashton Kutcher foi testemunha,esta quarta-feira, 29 de maio, no julgamento de um caso de homicídio.

O caso ocorreu há 18 anos e a vítima era uma mulher, na época com 22 anos, com quem o ator ia sair.

No tribunal, Ashton contou que foi buscar Ashley Ellerin, uma estudante de moda, para saírem mas não obteve resposta quando bateu à porta e foi embora. No dia seguinte, soube da sua morte.

"Bati à porta e não houve resposta. Presumi que tivesse saído, que eu estava atrasado e ela estivesse chateada", contou.

Kutcher relembrou ainda que olhou pela janela e viu o que achou serem manchas de vinho pelo chão, o que não considerou alarmante e foi embora.

"No dia seguinte, depois de ouvir o que aconteceu, fui até os detetives e disse: 'as minhas impressões digitais estão na porta'. Eu estava em pânico", disse.

Nesta sessão, Ashton frisou que Ashley não era sua namorada. Tinha-a conhecido uns meses antes numa festa e tinha-a convidado para sair essa única vez.

Ashley foi encontrada morta, pela companheira de casa, no corredor do lado de fora da casa de banho.

No julgamento, Michael Gargiulo é acusado de matar a jovem e outra mulher. Gargiulo, referido como um "assassino sexual em série", entrou na casa e esfaqueou a jovem 47 vezes.

O homem declarou-se inocente de duas acusações de homicídio e de uma tentativa de assassinato em ataques entre 2001 e 2008. Ele é acusado, num outro processo, de matar uma mulher de 18 anos, de Glenview, Illinois, e aguarda julgamento lá.

 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção