Internacional
Militante Transexual veterano da Força Aérea suicida-se devido à rejeição social
Jess Shipps Foto: DR
Redação Lux em 25 de Junho de 2015 às 10:36


Jess Shipps, conhecido transexual de 32 anos, que trabalhou durante 6 anos na Força Aérea, suicidou-se. A sua inesperada morte está a agitar a comunidade. Shipps tinha deixado o serviço há dois anos para prosseguir a sua mudança de sexo e tornou-se um membro ativo da SPARTA, um grupo de defesa e apoio para militares transexuais.

Militante ativo e mentor para muitos, Jess criou uma conta no  YouTube, onde partilhava vídeos com a sua história e onde dava conselhos a outros que, como ele, desejavam a mudança de sexo. Shipps ganhou grande popularidade e criava polémica pela forma despudorada como mostrava a sua feminilização. Continuava a gostar de

No entanto, a jovem acabou por sentir grande rejeição social. Shane Ortega, amigo e transexual militar,  refere ao "The Advocate" que Shipps ficara devastada por sentir que devia deixar a Força Aérea uma vez que adorava o seu trabalho nas Forças Militares e que sentia muitas muitas dificuldades em integrar-se como mulher na sociedade pois sentia-se uma "cidadã de segunda classe".

Outro ponto de desadequação prendia-se com o facto de Shipps ter mudado de sexo mas não se ter tornado uma "mulher muito feiminina" mas mais uma "maria rapaz", explica a amiga, que gostava de camiões e desportos ao ar livre como a pesca e campismo selvagem, mais associados aos estereotipos masculinos. 

Deixou uma «carta de despedida», publicada pelo The Advocate, onde explica que se sentia magoada perante a rejeição social e triste por não conseguir arranjar emprego e por já não ser capaz de fazer face às despesas relacionadas com a manutenção do processo de mudança de sexo.


Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção