PUB
PUB
Notícias
. em 13 de Maio de 2024 às 11:21
ARCOlisboa 2024 cria raízes na capital portuguesa

A ARCOlisboa, uma feira organizada pela IFEMA MADRID e pela Câmara Municipal de Lisboa, realizará a sua 7.ª edição de 23 a 26 de maio na Cordoaria Nacional transformando, uma vez mais, a capital portuguesa num dos mais atrativos centros de interesse artístico e cultural da Europa e um ponto de encontro para colecionadores, galeristas, artistas e profissionais de todo o mundo.

Com a participação de 82 galerias de 14 países, a ARCOlisboa apresentará a cena artística portuguesa num diálogo alargado com a arte espanhola e europeia. A Feira organizar-se-á em torno de três áreas: o Programa Geral, formado por 59 galerias, e as secções comissariadas, OPENING Lisboa, com uma seleção de 16 galerias e As Formas do Oceano, constituída por 7 galerias.

Nesta ocasião, a participação de galerias portuguesas representa 34% da feira, com um total de 28 galerias. O segmento internacional situa-se nos 66% — 54 galerias —, provenientes sobretudo da Europa, com uma presença significativa de países como Espanha, Alemanha, França e Áustria.

Programa artístico

O eixo principal da feira, o Programa Geral, cresce para um total de 59 galerias selecionadas pelo Comité Organizador, incorporando galerias que participam pela primeira vez como as Charim, adn galeria ou a L21. Recuperam-se também algumas participações que regressam depois de um pequeno hiato como é o caso das Ehrhardt Flórez, Piero Atchugarry, ou Graça Brandão, e outras como as Janh und Jahn e Foco que passam à secção geral depois de terem participado no OPENING Lisboa no ano passado. A estas galerias soma-se a fidelidade de outras como Bruno Múrias, Cristina Guerra Contemporary Art, Francisco Fino, Madragoa, Pedro Cera, Vera Cortês, assim como CarrerasMugica, Helga de Alvear, Mayoral, Leandro Navarro ou Carlier | Gebauer, 193 Gallery, Document.

Adicionalmente, os projetos SOLO do Programa Geral apresentarão o trabalho de artistas internacionais em profundidade. Entre eles, Ixone Sádaba – ATM –, Vicente Blanco – Galería Silvestre –, Carmen Ortiz Blanco  – House of Chappaz –, Miguel Ángel Tornero  – Juan Silió –, Juan Baraja  – La Cometa, Elvira Amor  – MPA / Moisés Pérez de Albéniz –, Miguel Fructuoso  – T20-, Christian García Bello  – The Goma –, Michele Tocca – Z2o Sara Zanin Gallery, Edin Zenun  – Zeller Van Almsick –.

A secção OPENING Lisboa irá explorar novas linguagens e espaços artísticos com o objetivo de atrair novos conteúdos para a feira. Nesta linha, através deste programa, cuja seleção foi feita por Chus Martínez e Luiza Teixeira de Freitas, a feira permitirá conhecer 16 galerias, tais como Galeria 4710, Artnueve, Elvira Moreno, Lohaus Sominsky e Salgadeiras, que se estreiam no programa, ou Bianca Boeckel, Encounter, Portas Vilaseca, Nave e Romero Paprocki, que repetem a sua participação, bem como Anca Poterasu, a vencedora do Prémio OPENING Lisboa 2023.

O espaço de OPENING Lisboa será especialmente desenhado pelo atelier de arquitetura português Feeders.

Este ano, e pela quinta vez, a ARCOlisboa volta a apresentar o Prémio OPENING Lisboa, cujo júri, composto por profissionais do setor, reconhecerá o melhor stand da secção premiado com a atribuição do valor da concessão do seu espaço expositivo na Feira.

Os conteúdos artísticos desta edição completam-se com o programa As Formas do Oceano, com curadoria de Paula Nascimento e Igor Simões, que contará com projetos centrados nas relações entre África, a diáspora africana e outras latitudes. A secção incluirá um total de 7 galerias provenientes de Paris – 31 Project e Christophe Person, Casablanca African Arty, LisboaColectivo Amarelo, BrasíliaKarla Osorio, ItáliaLIS10 Gallerye Rio de JaneiroNonada.

A ArtsLibris volta a estar presente na ARCOlisboa com cerca de trinta expositores nacionais e internacionais localizados no Torreão Nascente da Cordoaria, com acesso livre ao público. As revistas de arte contemporânea também terão um papel preponderante neste espaço. Para além de se tornar num local especializado em publicações de artista, fotolivros, pensamento contemporâneo, autopublicação e publicações digitais, a secção oferece ainda aos participantes diferentes apresentações e debates no ArtsLibris Speakers Corner, onde as editoras participantes falarão sobre as suas publicações e linhas editoriais.

Como contextualização teórica, a ARCOlisboa propõe o seu tradicional programa de debate e reflexão que, com o apoio da Fundação Millennium bcp, que continuará a promover a feira como motor do pensamento em torno da arte contemporânea. O Torreão Nascente acolherá as Millennium Art Talks, organizadas pela EGEAC com a curadoria de Marta Mestre e Ángel Calvo Ulloa.

O público geral terá também a oportunidade de desfrutar deste especial encontro com a arte contemporânea de sexta-feira 24 a domingo 26 de maio. A fim de facilitar o acesso a um maior número de pessoas, será permitida a entrada gratuita de jovens até aos 25 anos no sábado, 25 de maio, a partir das 15h00.

Como nas edições anteriores, a ARCOlisboa vai tornar-se uma verdadeira semana de arte na cidade, uma vez que, em colaboração com as principais instituições artísticas locais, está a ser elaborado um programa cultural paralelo para convidados nacionais e internacionais, que inclui inaugurações e visitas a exposições e coleções privadas, assim como outros eventos.

 

A ARCOlisboa é coorganizada pela Câmara Municipal de Lisboa, com os apoios da DGARTES, Fundação EDP, Fundação Millennium BCP, Fundação Vasco Vieira de Almeida, MEXTO Property Investment, Turismo de Lisboa, Bellissimo Cafés / Marca Grupo Nabeiro, Super Bock Group, Santogal, Art works, Ruinart, Casa Cadaval e Quinta do Casal Branco com a coordenação local da produtora Café Pessoa.

 

 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

PUB
pub
PUB
Outros títulos desta secção