PUB
PUB
Nacional
Redação Lux em 6 de Julho de 2021 às 18:06
Victoria Guerra e Adriano Luz são finalistas dos Prémios Platino de Cinema Ibero-americano
1/2 - Victoria Guerra e Adriano Luz são finalistas dos Prémios Platino de Cinema Ibero-americano
2/2 - Victoria Guerra e Adriano Luz são finalistas dos Prémios Platino de Cinema Ibero-americano

Victoria Guerra e Adriano Luz entre os finalistas às nomeações dos Prémios Platino de Cinema Ibero-americano pela interpretação em Auga Seca, também ela nomeada para Melhor Série Dramática no Festival Celtic Media.

Victoria Guerra está indicada ao prémio de Melhor Interpretação Feminina e Adriano Luz ao de Melhor Interpretação Masculina de Ator Secundário. Os dois atores portugueses figuram na lista dos finalistas às nomeações dos Prémios Platino de Cinema Ibero-americano, ambos pelas suas performances na série Auga Seca, uma coprodução da SPi e da produtora galega Portocabo.

Emitida na RTP1, na Televisão da Galiza e na HBO Portugal e Espanha, Auga Seca é um drama policial sobre o comércio de armas, protagonizado pela atriz Victoria Guerra, que dá vida a Teresa Duarte, uma jovem que decide deixar a sua vida em Lisboa para viajar para Vigo em busca das causas da morte do irmão. Adriano Luz, por sua vez, podemos vê-lo no papel de Lázaro, um ex-militar envolvido nos negócios obscuros que ligam a família Galdón ao tráfico de armas.

Após ter passado a primeira fase de seleção entre as mais de 600 produções, de 23 países ibero-americanos, Auga Seca consegue ser a primeira série em língua portuguesa e galega a ser selecionada para competir pelos Prémios Platino, com os atores Victoria Guerra e Adriano Luz, nas categorias de Melhor Interpretação Feminina e Melhor Interpretação Masculina de Ator Secundário, respetivamente.

Além destas nomeações aos prémios ibero-americanos, Auga Seca é também finalista do Celtic Media Festival, que premeia as melhores produções dos países e regiões do mundo celta, na categoria de Melhor Série Dramática. Os vencedores só serão a anunciados no próximo mês de setembro.

O sucesso de Auga Seca foi de tal forma que, em breve, os espetadores vão poder acompanhar as origens dos negócios da família Galdón e dos seus conflitos com a família de Teresa numa segunda temporada. No elenco mantêm-se os atores portugueses Victoria Guerra (Teresa), Adriano Luz (Lázaro) e Igor Regalla (Abel), a quem se juntam Pêpê Rapazote, Luana Piovani e Gonçalo Waddington. Do lado galego, permanecem os atores Monti Castiñeiras (Mauro Galdón), Sergio Pazos (inspetor Viñas) e Eva Fernández (Irene). À semelhança da primeira temporada, nesta segunda as gravações também se dividiram entre Vigo e Lisboa.

Auga Seca é uma coprodução entre a SPi e a produtora galega Portocabo, para a RTP e para a Televisão da Galiza. Uma excelente notícia é que também a HBO Espanha e Portugal poderão contar com esta nova temporada no seu catálogo, à semelhança do que aconteceu com a primeira. Toño López e Sérgio Graciano voltam a assumir a realização em conjunto, sob a produção executiva de José Amaral da SPi e Alfonso Blanco da Portocabo, também ele autor da série. Os guiões foram escritos por Carlota Dans, Roberto G. Méndez, Miguel Simal, Alfonso Blanco, Nina Hernández e Ana Míguez; a direção de fotografia é de Manuel Pinto Barros e Lucí C. Pan, e a música original foi criada por Elba Fernández e Xavi Font.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

PUB
pub
PUB
Outros títulos desta secção