Nacional
José António Saraiva condenado por devassa da vida privada
José António Saraiva - Campus de Justiça 13.03.17 Foto: Tiago Frazão/Lux_
Redação Lux em 9 de Julho de 2020 às 16:21

José António Saraiva, autor do livro "Eu e os políticos. O que não pude (ou não quis) escrever até hoje", lançado em setembro de 2016 e retirado do mercado por ordem judicial em novembro de 2017, foi esta quarta-feira, dia 8 de julho, condenado por devassa da vida privada a pagar 180 dias de multa à taxa diária de 30 euros: 5400 euros.

O antigo diretor do Expresso e do Sol erá ainda de pagar 30 mil euros de indemnização, a dividir pela jornalista Fernanda Câncio e por um seu ex-namorado que foi copydesk no Expresso, autores da queixa e assistentes no processo.

A queixa incidia no facto de num capítulo do do livro "Eu e os políticos. O que não pude (ou não quis) escrever até hoje", dedicado a José Sócrates, José António Saraiva falar de pormenores da vida íntima da jornalista Fernanda Câncio, quando namorava com o ex-copydesk do Expresso.

José António Saraiva pode contestar a condenação no Tribunal da Relação de Lisboa.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção