Nacional
Filme português 'A Herdade' a caminho dos Óscares
Filme português 'A Herdade' a caminho dos Óscares
Redação Lux em 11 de Setembro de 2019 às 16:43

 'A Herdade' soma e segue: a longa-metragm de Paulo Guedes acaba de ser escolhida pelos membros da Academia Portuguesa de Cinema (APC), para representar Portugal nos Óscares 2020, na categoria de Melhor Filme Estrangeiro, abrindo assim uma nova etapa no percurso de excepção que o filme está a ter.

Depois da Selecção Oficial em Competição no festival de Veneza, com uma longa standing ovation, e o elogio crítico das principais publicações internacionais, e dos enormes aplausos na projecção oficial, há poucas horas, na maior sala do TIFF Bell Lightbox, no festival de Toronto,  o filme com o ator Albano Jerónimo e o produtor Paulo Branco segue rumo aos Óscares de Hollywood.

Recorde-se ainda que 'A Herdade' será também o candidato português a uma nomeação para os Prémios Goya, na categoria de Melhor Filme Ibero-americano.

A estreia portuguesa decorrerá já na próxima semana, no dia 19 de Setembro, em cerca de 70 salas, de norte a sul do país.
 

“[Tiago] Guedes encontra o tom certo na forma como utiliza este material, ligeiramente mais austero do que o realismo puro. Eleva o clã e os seus problemas quotidianos para a esfera de algo que é intemporal e quase mítico, à semelhança do que [Eça] Queirós fez na sua celebrada saga familiar, Os Maias.”
Boyd van Hoeij, The Hollywood Reporter

“Um resultado convincente e envolvente, com reminiscências remotas de O Gigante ou de alguns westerns de Anthony Mann […] Um óptimo título desta Competição. (…) é extraordinário ver-se o filme de [Tiago] Guedes na sua duração exponencial de 164 minutos, tudo de uma vez, imerso na imensidão da natureza silenciosa e maravilhosa, suspenso na flutuação do tempo, agarrado a um "padrone" progressista atípico do século passado. Entre as músicas que são sempre muito subtis, há a mão do grande Arvo Pärt.”
Davide Turrini, Il Fatto Quotidiano

“Um dos melhores exemplos da abordagem ao tema da família na Competição do Festival de Veneza é A HERDADE do realizador português Tiago Guedes. Também neste caso as questões contemporâneas se misturam inseparavelmente com os assuntos internos da família retratada.”
Tim Caspar Boehme, Taz.de

“Um filme torrencial, A HERDADE é uma obra ambiciosa, na qual a grande propriedade onde os acontecimentos têm lugar funciona como uma metáfora do que acontece ao protagonista: inicialmente poderoso e grandioso, sofrerá com o tempo os ventos da mudança, enfrentando dinâmicas que alterarão profundamente a sua natureza.
[… um filme] estimulante, que dá ao espectador algumas sequências de alto nível: entre elas, o incipit e a festa de casamento da cunhada do protagonista, que mostra o talento do seu autor.”
Andrea Chimento, Il Sole 24 Ore

“Guedes (Entre os Dedos) aponta os westerns e melodramas como o filme Home From the Hill, de Vincente Minnelli, como grandes influências, que funcionam claramente como modelos com nuances políticas. […] A fotografia de João Lança Morais tem uma beleza informal inquestionável, e a sensibilidade para a natureza, com uma banda sonora quase mais dependente do vento que se faz ouvir do que da música de Arvo Pärt, Zeca Afonso e Charles Ives, é uma característica de relevo que se destaca e que se enquadra numa história centrada numa propriedade rural a sul do rio Tejo.”
Jay Weissberg, Variety

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção