Nacional
Eduardo Beauté: nem suicídio, nem crime
Eduardo Beauté: nem suicídio, nem crime - Capa Lux 1011
Nair Coelho em 20 de Setembro de 2019 às 18:00

Eduardo Beauté morreu aos 52 anos, deixando todos os que o conheciam numa profunda tristeza. O cabeleireiro foi encontrado já sem vida no quarto do apartamento onde vivia, em Lisboa, com manchas roxas no corpo, pelos três sócios italianos com quem tinha agendada uma reunião para falar sobre o novo projeto que se preparava para iniciar.

A hipótese de suicídio foi a primeira a ser levantada por quem conhecia os problemas emocionais que marcaram os últimos anos de vida de Eduardo Beauté, que entrou numa profunda depressão após o fim da relação de sete anos com o manequim Luís Borges.

Porém, bastaram alguns dias para o relatório da autópsia confirmar que o cabeleireiro morreu de causas naturais, com uma embolia cerebral.

A notícia da sua morte foi dada pelo ex-marido, através das suas redes sociais. “É com profunda tristeza que partilho convosco que partiu hoje o Pai dos meus filhos. Neste momento de dor, peço que recordem o Eduardo com carinho e respeitem o momento difícil que atravessamos.

“A notícia caiu como uma bomba entre todos os que conheciam e privavam com Eduardo, um homem que, apesar das suas fragilidades, era conhecido por ser um apaixonado pelo que fazia e pelo amor incondicional que sentia pelos três filhos.

“O facto de eles serem a minha garantia de amor mais constante faz-me querer ser o mesmo para eles. Sempre”, confessou Eduardo à Lux, em abril deste ano, durante uma entrevista exclusiva, uma das últimas que deu. Agora, Bernardo, de 9 anos, portador de trissomia 21, Lurdes, de 7, e Edu, de 4, ficaram órfãos e uma vez que, legalmente, eram apenas filhos do cabeleireiro, o Ministério Público terá de lhes nomear um tutor legal.

Aguarda-se para saber se será Luís Borges, de 31 anos, a quem as crianças tratam por “papá”, a assumir esse papel. Mesmo depois do divórcio, o modelo continuou a assumir as suas responsabilidades parentais, financeira e emocionalmente, e a demonstrar grande afeto pelas crianças. Há também Alice, a empregada que cuidava das crianças, com quem estavam sempre que o pai tinha compromissos laborais.

Sem certezas quanto ao futuro dos três irmãos, a atenção recaiu sobre as cerimónias fúnebres do cabeleireiro. Os amigos mais chegados sabiam que Eduardo Beauté desejava ser cremado, em Lisboa. Já a família quis levar o corpo para a Marinha Grande, de onde ele era natural, e lá fazer o funeral.

À data de fecho desta edição, Filomena Cardinali, amiga de Beauté, revelou a decisão da família do hairstylist.

“A família biológica do Eduardo não deixa o Edu ser velado durante umas horas em Lisboa para nos despedirmos. Sabemos que a vontade do Eduardo era ser cremado em Lisboa, mas todos entendemos que é a decisão da senhora sua mãe que terá de ser aceite e respeitada.” Mais tarde, o próprio Luís Borges partilhou que os amigos iriam homenagear Eduardo na Basílica da Estrela com “uma missa celebratória em sua memória” e pediu que vestissem “peças coloridas como era seu desejo”.

Apesar do constante sorriso,  Eduardo Beauté viveu marcado por algumas tragédias pessoais, que se sucederam ao longo da sua vida, como a morte do filho biológico ou a morte do pai, que se enforcou, Beauté foi conseguindo sempre ter a força necessária para se reerguer. Aos 17 anos, teve de enfrentar a morte de Rúben Eduardo, que morreu com apenas 6 meses, vítima de doença pulmonar.

O cabeleireiro recordava-o muitas vezes nas redes sociais. “Ainda não consegui dizer Adeus... Pois o amor incondicional pelo meu filho biológico que partiu com apenas 6 meses, continua tão grande como quando o vi e senti nos meus braços pela primeira vez”, escreveu em 2018, numa altura de grande sofrimento, ainda sem superar o fim do casamento de sonho que tinha com Luís Borges, de quem se divorciou no final de 2016, motivado por muitos “dissabores e desilusões”, como referiu na altura.

Aliás, foi o fim desse amor vivido como um conto de fadas que ajudou Eduardo a entrar numa fase bastante negativa. “Entrei numa depressão. Para além disso, associei a essa depressão ataques de pânico e vários esgotamentos. Foi essa fragilidade que me fez algumas vezes gritar ao mundo a minha dor. Hoje, sou menos exuberante e mais discreto, por estar a voltar ao melhor de mim”, disse em abril deste ano, na entrevista à Lux, durante a qual mostrou estarsereno, e assumiu estar pronto para “recomeçar”.

Depois de uma fase negativa a nível profissional, e de ter deixado o salão na Avenida da Liberdade, onde em tempos recebeu as maiores estrelas de Portugal como clientes, Eduardo confiava no futuro, sempre com o bem-estar dos filhos no pensamento.

“Os meus filhos, a minha família, o meu trabalho e os meus amigos. Essas são, definitivamente, as prioridades da minha vida.” E nem mesmo nos momentos mais difíceis, o hairstylist teve receio de colocar a estabilidade emocional dos filhos em causa. “O facto de eles serem a minha garantia de amor mais constante faz-me querer ser o mesmo para eles. Sempre! O que cheguei a temer foi o que o eco aumentado que a imprensa deu às minhas dores pudesse contribuir para a construção da imagem de que não seria um bom pai. Isso nunca estará em causa. Amo-os e quero sempre o melhor para eles. Mesmo nas minhas fases menos boas, a presença deles faz-me ser o melhor de mim.” E Beauté não se cansava de falar das três crianças. “O Edu é o caçula, de sorriso encantador, o Bernardo é o benjamim que todos os dias nos surpreende com a sua sensibilidade e a Lu é a mais artística, a única menina da família e, talvez por isso, um bocadinho a mãe de todos. [risos] Eles são muito amigos!”

Ao contrário do que muitas vezes foi dito na imprensa, que acusava Luís Borges de se ter afastado das crianças, Eduardo Beauté contou que “o Luís não se limita a ajudar financeiramente. Visita-os na minha casa sempre que quer, passa fins de semana com eles e eles adoram-no!” Já sobre a aceitação do fim do casamento com o manequim, desabafou: “Qualquer fim passa por um processo de aceitação, que nem sempre é imediato. Também o nosso, enquanto casal, passou por essa fase. Para lá do fim, existirão sempre três importantes elos de ligação: os nossos filhos. Com essas três vidas em comum, encontrámos o respeito que hoje vivemos entre nós”.

Antes de morrer, Eduardo Beauté estava em conversações com três empresários italianos, que queriam abrir um espaço novo em Lisboa, contando com a sua larga experiência na área em que sempre trabalhou. Apaixonado pelo que fazia, viveu uma vida profissional de sucessos e chegou a ser conhecido como o “cabeleireiro dos famosos”.

Estrelas como Fernanda Serrano, Fátima Lopes e Mariza eram, não só, suas clientes como suas grandes amigas, chegando mesmo a serem suas madrinhas de casamento. “Leva este beijo meu… Foste a pessoa com o coração mais doce que conheci na vida. Obrigada por tudo”, escreveu Fernanda Serrano, amiga e madrinha de Lurdes. Já Fátima Lopes escreveu: “Cuidou de mim e da minha imagem durante anos, com muito carinho. Que notícia triste. Estou em choque. Descansa em paz, meu amigo.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção