PUB
PUB
Nacional
Vhils transforma Mini em obra de arte
Vhils transforma Mini em obra de arte Foto: DR
Redação Lux em 22 de Março de 2024 às 17:11

Desafiado pela MINI, Alexandre Farto, artista português de renome internacional conhecido como Vhils, deixou o seu traço único num veículo clássico da icónica marca automóvel.  O resultado deste desafio dá pelo nome “TRACERY”, um Mini transformado em criação artística.

“A minha prática enquanto artista contemporâneo é profundamente inspirada pelas camadas de história e identidade enraizadas na paisagem urbana. O convite para intervir num dos primeiros modelos deste carro icónico permitiu-me expandir a minha criatividade para uma nova dimensão. Com este trabalho, não só presto homenagem à mente visionária de Sir “Alec” Issigonis, criador do Mini original, como também celebro o espírito revolucionário da própria criação. Com o seu design pioneiro e impacto democratizador, o Mini encarnou um símbolo de acessibilidade e mobilidade urbana. Através desta intervenção, quero desvendar as camadas deste legado, revelando a essência da sua contribuição para a cidade e os seus habitantes, enquanto crio um diálogo entre passado e presente, tradição e inovação”, destaca Alexandre Farto aka Vhils.

Este projeto é a mais recente etapa da parceria entre a marca e o Vhils Studio, liderado pelo artista português. Em 2022, esta colaboração da marca com o mundo das artes já tinha dado lugar a uma intervenção de grandes dimensões de Vhils, que, recorrendo a uma técnica inovadora, decidiu homenagear o criador Sir “Alec” Issigonis, designer e engenheiro britânico que concebeu o icónico Mini. Agora chegou a altura de prestar homenagem à obra de Issigonis – o Mini, tendo sido escolhida uma técnica ancestral.

Tracery é um termo inglês da arquitetura gótica – estilo arquitetónico marcado por uma decoração ornamental estrutural – que define o "rendilhado" permitindo aberturas para o exterior, filtradas por vitrais e rosáceas. No caso da obra que Vhils agora revela, o termo enfatiza a perfuração da pele do automóvel, representando elementos característicos da obra do artista.

Para a criação do conceito desta instalação artística, Vhils viajou até Oxford em setembro do ano passado para visitar a fábrica da MINI, onde teve oportunidade de escolher o modelo que seria a sua “tela”. A escolha recaiu sobre um Mini MkI de 1965. Um automóvel revolucionário no seu tempo, pela sua simplicidade.

“A MINI define-se desde a sua origem pelo seu lado icónico e irreverente. É uma marca que olha sempre para o futuro sem esquecer o seu legado. Já o Vhils conta com um traço único, que nos tem dado criações que deixam a sua marca profunda na paisagem urbana. Para a MINI, que tem na cidade o seu território natural, encontrámos aqui uma combinação de elementos que nos une. E no caso de “TRACERY” em particular, é com orgulho que olhamos para o resultado final deste desafio que lançámos ao Vhils e à sua equipa”, destaca Gonçalo Empis, Head of MINI Portugal.

Para a execução do conceito, Vhils e a sua equipa contaram com a estreita colaboração da Rusty Soul Garage – autêntica oficina de arte automóvel, especializada no restauro de veículos, e já experiente em trabalhar com veículos da marca britânica. Esta obra demorou seis meses a ser concluída, tendo sido necessário efetuar cerca de 30.000 furos nos diversos painéis do veículo.

 

 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

PUB
pub
PUB
Outros títulos desta secção