PUB
PUB
Nacional
Liga Portuguesa contra a Sida celebra 30 anos e apresenta nova imagem e campanha 'Na Sida existe vida'
Liga Portuguesa contra a Sida celebra 30 anos e apresenta nova imagem e campanha “NA SIDA EXISTE VIDA”
Redação Lux em 26 de Outubro de 2020 às 13:00

A Liga Portuguesa Contra a Sida, reconhecida como a instituição mais antiga em Portugal destinada a apoiar pessoas infetadas e afetadas pelo VIH e SIDA e outras Infeções Sexualmente Transmissíveis, assinalou dia 24 de outubro, o seu 30.º aniversário e lança nova imagem e campanha “NA SIDA EXISTE VIDA”.

Foi na década de 90 que nasceu a Liga Portuguesa contra a Sida (LPCS), sete anos depois do primeiro caso de VIH diagnosticado no País. Muito mudou em 30 anos: a doença democratizou-se, cresceu em número e também no que diz respeito à informação disponível, aos tratamentos e aos apoios existentes para quem enfrenta o diagnóstico. Mas ainda que muito tenha mudado, o VIH e SIDA continua a ser uma infeção e doença que preocupa, que estigmatiza, que infeta os mais e menos jovens, homens e mulheres. “Continua a não existir cura, mas viver com o VIH, atualmente, significa ter uma infeção crónica com tratamento altamente eficaz no controlo do avanço da doença”, refere Maria Eugénia Saraiva.

É do mesmo ano do seu nascimento que data a primeira campanha da LPCS que, em dezembro desse ano, se dava a conhecer. Um ano depois nascia a Linha SOS SIDA, que ainda hoje informa, apoia e encaminha os que a contactam. Desde então, muito se fez, sempre de olhos postos nas populações mais vulneráveis à infeção por VIH, que é hoje bem mais democrática, podendo afetar qualquer um com comportamentos de risco. A mensagem da prevenção não saiu de moda, dirigida, ao longo de três décadas, a diferentes públicos-alvo, de diferentes faixas etárias.

No aniversário dos 30 anos da LPCS, a mensagem continua a ser a da prevenção e inclusão, mas também de um reforço dos cuidados com vista à promoção da qualidade de vida dos utentes. “Se por um lado, assistimos hoje a um aumento da esperança media de vida e a avanços terapêuticos nesta área, com menos efeitos secundários, assim como a novas medidas de prevenção, relacionadas com o tratamento, nomeadamente a PrEP e a PPE, por outro continuamos a assistir ao vírus social.” afirma  Maria Eugénia Saraiva.

 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

PUB
pub
PUB
Outros títulos desta secção