Nacional
Redação Lux em 19 de Setembro de 2019 às 18:00
Fotos: O casamento romântico de Constança Lameiras e João Góis

"Foi incrível. Acho que foi o dia mais feliz da minha vida. É a combinação perfeita: dizer que sim ao homem da minha vida e fazê-lo sob o olhar atento daqueles que para mim são “as pessoas da minha vida”. É aquilo a que chamo a bolha da felicidade!”, resumiu Constança Lameiras, de 26 anos, que disse o “sim!” a João Góis, de 28, na Basílica de Santa Quitéria de Meca, em Alenquer,  no dia 30 de agosto. 

A gestora de comunicação e marketing e o professor conheceran-se no Externato Marista de Lisboa. “Eu estava a fazer colónias e o João o ano de estágio dele. Ele não me achava muita graça, mas um amigo em comum brincava a tentar juntar-nos...uma brincadeira que alguns meses depois acabou por acontecer”, explica a jovem que, ao fim de quatro anos de namoro, não teve quaisquer dúvidas em ter encontrado o parceiro perfeito para a vida:

“O João é sobretudo o meu equilíbrio. Eu vivo tudo com muita intensidade, muita emoção. Costumo dizer que vivo mesmo com o “coração na garganta”. O João é o lado mais racional. É ponderado, tem os pés bem assentes na terra. Gosto do sentido de família dele, da serenidade que me passa, do respeito pelos outros e da sua ambição, da vontade de se superar e do constante desafio a que se propõe. O que torna tudo na nossa vida muito mais desafiante”.

O sonho do casamento de Constança incluia um vestido de princesa. “Queria uma saia rendada, queria costas abertas e queria ir um bocadinho princesa. Acho que foi amor à primeira vista. E a minha mãe e madrinha concordaram logo. Foi a escolha mais fácil do casamento, depois do noivo!”, brinca.

Já a escolha dos convidados, confessa, foi o maior desafio. “O conceito de casa norteou o nosso casamento. Tanto na escolha do espaço como das pessoas. A lógica foi: vamos convidar quem convidaríamos para um jantar em nossa casa. Queríamos que o dia fosse vivido com aqueles que são a nossa família a partir deste momento. E assim foi. Uma escolha que os nossos país respeitaram por ser o nosso casamento e assim, uma primeira lista muito extensa culminou nas pessoas incríveis que ali estiveram. Todas elas têm um significado especial para nós!”.

A jovem frisa, de resto, a grande importância que dá a esse sentido de família. “A minha família é tudo para mim. São o meu chão, o meu porto seguro e o abraço onde quero sempre voltar. É lá que encontro os melhores abraços de vitória, os melhores conselhos de todas as horas e as melhores palavras de consolo. Nada faz sentido sem eles. São a minha inspiração - a mãe, o meu irmão Francisco e o meu pai. À medida que os anos passam tenho a certeza de que são o meu núcleo duro e o grande prato da balança para o meu equilíbrio emocional, pessoal e profissional”, frisa, lembrando que “faltaram algumas pessoas, que nos foram deixando nos últimos anos”. “A maior ausência foi a da minha avó Eva, por quem tenho um amor sem igual e com quem falei várias vezes sobre casamento. Sei que onde quer que esteja está feliz e viveu este dia comigo”. 

O copo d´água para os cerca de 180 convidados decorreu no Solar de Pancas num ambiente descrito como “festivo e familiar. ”Toda a gente se divertiu muito. Houve muita dança, abraços, sorrisos. Muitas surpresas carregadas de carinho - as minhas damas de honor cantaram para nós, o meu irmão fez um discurso incrível com imenso humor, eu e as minhas damas de honor dançámos para o João. Senti que era como se tivéssemos feito um grande jantar em casa. 

Depois de,  no ano passado, terem celebrado o noivado com uma viagem a Bali, a Austrália e Singapura, a escolha do destino da lua-de-mel incidiu na Croácia, Monetnegro e Praga. “Quisemos uma viagem mais cultural e que nos permitisse estar estar muito os dois".

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção