Nacional
Sérgio Godinho aplaude atribuição do Nobel a Bob Dylan
Sérgio Godinho - Lançamento de «E o Sporting é o Nosso Grande Amor» 02.12.15 Foto: Ricardo Santos/Lux
Redação Lux em 13 de Outubro de 2016 às 14:12

O músico Sérgio Godinho elogiou hoje, em declarações à agência Lusa, a escolha do músico norte-americano Bob Dylan para Nobel da Literatura, porque tem sido "absolutamente um desbravador na canção americana".

"Foi uma grande surpresa, mas fico muito contente. Vem de uma tradição 'folk', do Woody Guthrie, depois começou a descobrir outros caminhos, passou pela canção política, pela canção vivencial, pelo surrealismo e é extremamente moderno", disse Sérgio Godinho.

O compositor português não considera Bob Dylan uma influência direta no seu percurso na música, mas explicou: "É uma influêncuiia indireta. Quando o oiço apetece-me compor e isso acontecia-me também, por exemplo, com Zeca Afonso".

O prémio Nobel da Literatura 2016 foi atribuído a Bob Dylan, por ter criado novas formas de expressão poéticas no quadro da grande tradição da música americana, anunciou hoje a Academia Sueca.

Trata-se de uma distinção sem precedentes na história do Nobel que premeia as letras do emblemático cantor norte-americano.

Alguma da obra literária do autor norte-americano Bob Dylan, Nobel da Literatura, também está publicada em Portugal, a par de composições e das edições discográficas.

Dois livros com letras de canções, que abrangem os álbuns publicados entre 1962 e 2001, foram editados pela Relógio d'Água ("Canções I e II"), enquanto o primeiro - e único, ainda - volume da autobiografia de Bob Dylan, "Crónicas", saiu pela Ulisseia.

Em 2007, a Quasi Edições publicou o livro de ficção "Tarântula", prosa-poema experimental de 1966, altura em que Bob Dylan editou o álbum "Blonde on Blonde" e teve um acidente de moto, que o obrigou a um período de recuperação.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção