Nacional
Redação Lux em 19 de Outubro de 2017 às 17:00
Projeto quer reunir na maior 'arca fotográfica' do mundo 12.000 espécies em perigo
1/2 - Joel Sartore
2/2 - Joel Sartore

Reunir na maior “arca fotográfica” do mundo 12.000 espécies em perigo para levar o público a preocupar-se com o seu destino.

Esta é a missão do conceituado fotógrafo Joel Sartore, parceiro e colaborador regular da revista National Geographic há mais de 20 anos, e mentor do projeto Photo Ark.

Para complementar a sua arca, Joel Sartore fotografou, ontem, no Jardim Zoológico, o Leopardo-da-pérsia e mais 11 espécies que vão integrar o seu projeto que inclui a exposição mundial que abriu ontem ao público no Porto.

Sob o pressuposto de que as pessoas não protegem o que não conhecem, Joel Sartore fotografou 12 espécies em perigo para o seu projeto que pretende criar a maior “arca fotográfica” do mundo. O Leopardo-da-pérsia e o Caimão-anão, o Leão-africano e a Girafa-de-angola, entre outros animais, vão em breve integrar o Photo Ark.

O projeto Photo Ark nasceu pelas mãos de Joel Sartore com a missão de fotografar as espécies ameaçadas ou em perigo de extinção do mundo, com uma imensa qualidade fotográfica, sublinhando as características que as tornam únicas e irrepetíveis, levando o público a preocupar-se com o seu destino. O projeto teve início em 2006 e, no passado mês de setembro, o fotógrafo da National Geographic capturou com a sua lente o 7.000.º animal.

Para Vera Pinto Pereira, Executive Vice-President Portugal e Espanha da National Geographic Partners, “receber o Joel Sartore e o seu projeto em Portugal e poder contribuir para o crescimento do Photo Ark é um motivo de enorme orgulho. O Jardim Zoológico tem realizado um trabalho fantástico na conservação de centenas de espécies e algumas delas vão agora percorrer o mundo, num projeto único que pretende mobilizar os cidadãos para a necessidade de proteção da biodiversidade no nosso planeta.”

“É muito gratificante para nós colaborar com o fotógrafo Joel Sartore e com o seu projeto Photo Ark, que se alinha inteiramente com a nossa missão. Diariamente, empenhamo-nos para dar voz às espécies vulneráveis e ameaçadas pela extinção, assim como à importância de preservação dos seus habitats. A associação a este maravilhoso projeto não só prova o reconhecimento desse trabalho, como o amplifica. Temos plena confiança de que este é mais um passo na educação para a conservação, que irá inspirar muitos dos visitantes a uma maior consciência e cuidado quotidiano”, atesta o Engenheiro Fernando Salema Garção, Vice-Presidente do Jardim Zoológico.

A exposição Photo Ark vai estar patente na Galeria de Biodiversidade do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto, pelas mãos da National Geographic, com a missão de sensibilizar para um problema à escala mundial: a preservação da biodiversidade. Esta mostra engloba cerca de 40 fotografias, infografias e vídeos das mais diferentes espécies, através dos quais os visitantes podem ficar a saber mais sobre os animais representados e olhá-los nos olhos, sabendo que são espécies únicas e que, por isso mesmo, devem ser protegidas.

O objetivo de Joel Sartore é reunir no Photo Ark 12 mil fotografias de diferentes espécies oriundas de todo o mundo. Para o fotógrafo este é o momento de agir: “Esta é a melhor altura para salvarmos espécies porque são tantas as que precisam da nossa ajuda”.

 

 

 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção