Nacional
José Guinot  com Fotos: João Cabral em 18 de Dezembro de 2010 às 17:05
Paulo Maló e Nancy Dewitte vivem um Natal baseado na reunião familiar
Chamam-lhe o «dentista milionário», mas Paulo Maló encolhe os ombros. Contudo, revela que fatura cerca de 100 milhões de euros por ano. Fruto de um império que começou a desenhar-se em 1992 e que hoje é feito de clínicas dentárias espalhadas um pouco por todo o mundo. A sua história de vida começa em Angola, onde nasceu, filho de um agricultor e de uma professora. Raízes que hoje fazem dele - também - produtor de vinho e criador de gado. Se não fosse a revolução de Abril de 1974, teria sido engenheiro agrónomo ou veterinário. Mas também quis ser biólogo marinho, por causa do explorador Jacques Cousteau, e estudou Física Nuclear, porque queria trabalhar na NASA.

Na África do Sul, onde viveu e estudou, interessou-se pela neurocirurgia. Porém, a influência de um tio dentista levou-o para a medicina dentária. Hoje é o rosto das clínicas Maló e quase toda gente, em Portugal e no estrangeiro, já, pelo menos, ouviu falar dele e das suas técnicas de implantologia dentária.

Na vida pessoal, quando tirou um curso na Bélgica, apaixonou-se pela sua professora de implantologia. Estão juntos há 16 anos. O sonho deste médico era ter 10 filhos, mas tem apenas Raquel, de 4 anos. Uma menina «alegre e perspicaz» que, às vezes, lhe causa alguns embaraços.

Nesta época natalícia, o médico/empresário mostra o seu lado menos conhecido e recorda um Natal «mais selvagem», vivido no calor de Angola e da África do Sul.

Leia toda a entrevista na edição impressa disponível para download
Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção