Nacional
Tia de Luciana Abreu faz revelações polémicas sobre a infância da atriz
Luciana Abreu na inauguração da loja Amour Glamour 25.04.17 Foto: João Cabral/Lux
Vasco Pereira em 16 de Junho de 2017 às 08:26

Parece estar longe do fim a polémica que envolve Luciana Abreu e a sua família. Recentemente, foi a tia paterna da atriz que aceitou dar uma entrevista a Cláudio Ramos, no programa “Queridas Manhãs”, da SIC, onde fez revelações sobre a infância de Luciana, quando os pais ainda estavam juntos.

“Ela sofreu violência doméstica. A mãe, as irmãs, ela...”, começa por contar Ana Paula Costa Real. “Em relação à Luciana, só posso confirmar as psicológicas. Ela viveu num terror, com pai e mãe a agredirem-se verbalmente, fisicamente, partindo tudo, destruindo tudo… Quanto à agressão física sobre a Luciana, nunca testemunhei, mas também não duvido que tenha existido”, arrisca.

Apesar de culpar o irmão, Ana Paula também responsabiliza a ex-cunhada por tudo o que as filhas sofreram: “A Ludovina tem tanta culpa no cartório quanto o meu irmão. Ela também era agressora, ela também nunca defendeu as filhas, ela também era alcoólatra… Desde sempre! Ela também tem muita culpa. Há uma altura, tinha a Luciana uns 14 anos, em que ela vai viver com um amante e aí também existiram agressões, porque nós fomos encontrar as crianças abandonadas dentro de um apartamento com fome, num ambiente de terror. Os vizinhos diziam que elas choravam e pediam comida nas janelas… Viviam abandonadas. Portanto, as agressões não foram só do meu irmão.”

Nesta entrevista, a tia da artista recorda ainda o momento em que o seu irmão processou a própria filha por difamação, depois de declarações proferidas na Assembleia da República, no âmbito de um debate sobre maus-tratos e violência doméstica. “O objetivo é dinheiro. Possivelmente, acha que a Luciana está milionária e quer extorquir algum”, acusa Ana Paula. “Vamos supor que ele até estava a ser injustiçado e que nunca tinha cometido coisa nenhuma: Como pai, poderia pedir à filha que publicamente se retratasse, que lhe pedisse desculpa… não pede 40 mil euros! Não compreendo que um pai possa fazer uma coisa destas a uma filha, principalmente um pai que foi realmente agressor. Acho chocante, ignóbil, que, de repente, esqueça tudo e ainda se sinta vítima! Se há vítimas aqui foram as crianças, foram as filhas dele, foi o resto da família toda… Todos nós, na família, sofremos com esta situação deste casamento entre o Luís e a Ludovina”, diz.

Para a tia, o importante, neste momento, é defender a sobrinha: “O que me choca é que as pessoas não tenham discernimento para entender quem é a vítima e quem é o agressor… A Luciana não escolheu a família onde nasceu. Nasceu numa família que possivelmente hoje não escolheria, mas não pode ser culpabilizada. A Luciana é a vítima!”

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção