Internacional
Rei Filipe da Bélgica lamenta pela primeira vez 'atos de violência e crueldade' no antigo Congo
Philippe, rei da Bélgica (EPA)
Redação Lux em 30 de Junho de 2020 às 10:00

O rei da Bélgica apresentou pela primeira vez na história do país os "seus mais profundos arrependimentos pelas feridas" infligidas durante o período colonial belga no Congo, atual República Democrática do Congo (RDC), numa carta pública endereçada ao presidente da República Democrática do Congo, Félix Tshisekedi, por ocasião do 60.º aniversário de independência.

"Gostaria de expressar os mais profundos pesares por essas feridas do passado, cuja dor agora é reacendida pela discriminação ainda presente nas nossas sociedades", introduziu o rei Filipe.

"Na época do estado independente do Congo [quando este território africano era propriedade do ex-rei Leopoldo II], foram cometidos atos de violência e crueldade, que ainda pesam na nossa memória coletiva. O período colonial que se seguiu [o do Congo Belga de 1908 a 1960] também causou sofrimento e humilhação".

O rei Filipe afirmou o compromisso de "combater todas as formas de racismo".

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção