Internacional
Redação Lux  com CSS em 12 de Janeiro de 2016 às 13:35
Abatida, triste e sem maquilhagem, infanta Cristina sentou-se no banco dos réus

Começou esta segunda-feira (11) o julgamento do famoso Caso Nóos, no Tribunal de Palma de Maiorca, em Espanha. A infanta Cristina e o marido, Iñaki Urdangarín, sentaram-se no banco dos réus ao lado dos outros 16 arguidos.

O casal era a imagem da desolação perante a dureza do processo. Abatida, triste e sem maquilhagem, Cristina estava bastante diferente de quando se apresentou pela primeira vez perante o juíz a 8 de fevereirro de 2014. Na altura, surgiu sorridente, dando uma imagem de serenidade e despreocupação.

A filha do rei Juan Carlos é acusada de 2 crimes fiscais  como cúmplice de delitos fiscais imputados ao marido, entre 2003 e 2006, quando era presidente do instituto Nóos. O processo vai agora prolongar-se por vários meses e terá qualquer coisa como 360 testemunhas. 

O juiz José Castro, responsável pelo processo, considerou que o papel de Cristina foi imprescindível para a fraude de cerca de 337 mil euros às Finanças, levada a cabo pela Aizoon, empresa que tinha como sócios os ex-duques de Palma.

Iñaki Urdangarin é acusado de fraude fiscal, tráfico de influências, branqueamento de capitais, prevaricação e falsificação de documentos e desvio de fundos públicos no valor de seis milhões de euros.  O Ministério Público pede uma pena de 19 anos de prisão e a União Popular Mãos Limpas pede uma pena de 26 anos de prisão.


 
Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção