Internacional
Redação Lux  com CSS em 29 de Janeiro de 2016 às 11:57
Infanta Cristina continuará a ser julgada no âmbito do caso Nóos

A infanta Cristina continuará a ser julgada no âmbito do caso Nóos, que desde 2010 ensombra a família real espanhola.

O tribunal negou a aplicação da doutrina Botín – que estabelece que uma acusação popular não pode, por si só, fazer sentar no banco dos réus uma pessoa por delitos que se enquadram na assistência a uma acusação particular.

Recorde-se que a irmã do rei Felipe VI é acusada de cumplicidade nos crimes fiscais cometidos pelo marido, Iñaki Urdangarín, quando este era presidente do Instituto Nóos. Agora a infanta poderá ser condenada a 8 anos de prisão.

Já o cunhado do rei de Espanha é acusado de fraude fiscal, tráfico de influências, branqueamento de capitais, prevaricação e falsificação de documentos e desvio de fundos públicos, arriscando-se a uma pena de prisão de 19 anos.



 
Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção