Nacional
Jornalista Manuela Sousa Rama regressa aos anos da censura
Manuela Sousa Rama Foto: Divulgação
Redação Lux em 10 de Outubro de 2019 às 09:10

Inspirado no tempo em que tudo o que se escrevia era vigiado pela polícia do regime, chega esta semana às livrarias o novo romance da jornalista Manuela Sousa Rama "A Culpa foi da Revolução". Baseado em acontecimentos históricos documentados, o livro centra-se na história de uma mulher, de uma família e de um país que vive uma conturbada época revolucionária.

Passaram-se já mais de 40 anos desde o fim da ditadura, mas é impossível esquecer, garante Manuela Sousa Rama. Jornalista à época, a autora relembra que a censura à imprensa e aos jornalistas era diária, exigindo-lhes constantemente criatividade e subtileza para evitar os riscos do famoso lápis azul.

É sobre esta ausência de liberdade, não apenas nas redações como noutras esferas culturais, mas sobretudo nos vivências e expectativas de um país, que se centra o romance A Culpa Foi da Revolução. Manuela Sousa Rama parte da história de uma mulher e da sua família para recuar aos meses anteriores à Revolução de Abril e ao conturbado período político e social sentido de norte a sul do país, aqui retratado a partir do mundo dos jornais.

 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção