Nacional
Dia 25 de maio assinala-se o Dia das Crianças Desaparecidas
McCann satisfeitos com recomeço das buscas por maddie
Redação Lux em 25 de Maio de 2020 às 11:00

O Instituto de Apoio à Criança vem assinalando desde 2001 o  Dia das Crianças Desaparecidas, por ser muito importante alertar a comunidade para este fenómeno tão devastador que geralmente conduz a uma maior vulnerabilidade  das crianças e dos jovens.

Muito associado à Exploração Sexual e ao Tráfico de Crianças, é muitas vezes um flagelo escondido, pois grande parte  dos jovens pertencem a grupos de risco em que a família não desempenha o seu papel protetor, como sucede, por exemplo no caso das crianças acolhidas em lares ou outras estruturas residenciais.

Como membro fundador da Missing Children Europe - Federação Europeia das Crianças Desaparecidas e Exploradas Sexualmente, o IAC tem aderido a um conjunto de iniciativas no âmbito do combate à exploração sexual, nomeadamente aquando da redação das Diretivas Europeias sobre a matéria ou até da aprovação da Convenção de Lanzarote ou das recomendações sobre as coligações financeiras para a prevenção e a luta contra os crimes sexuais através do ciberespaço.

E como é já habitual, decidiu aderir ao tema proposto pela MCE que este ano é mais uma vez dedicado aos jovens em fuga.

O IAC, através do setor “Projeto Rua” tem dedicado a sua atenção a este fenómeno das fugas, podendo dar um contributo relevante, designadamente no que respeita às fugas institucionais, que assumem, como nos demais Países europeus  um número preocupante.

Na impossibilidade de reunir em Conferência presencial, como vem sendo hábito, o IAC decidiu levar a efeito um Webinar que decorrerá entre as 16 e as 18 horas de hoje com vista a partilharmos preocupações e inquietações decorrentes designadamente de casos recentes que requerem um olhar atento e uma reflexão séria que conduza a propostas que possam tornar mais eficaz a proteção devida a estas crianças e jovens.

O SOS Criança dispõe de uma equipa especializada que escuta a criança ou o jovem, encaminha os seus apelos e presta apoio psicológico em algumas situações, em que é necessário cumprir o direito da criança à sua recuperação psicológica.

 

 

Todos não somos demais para ajudar!

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção