Internacional
Juiz rejeita ação de assédio sexual de Ashley Judd contra Harvey Weinstein
Ashley Judd - Antestreia de Divergent em Los Angeles Foto: Reuters
Redação Lux em 11 de Janeiro de 2019 às 10:48

O processo da atriz Ashley Judd contra Harvey Weinsteinpor assédio sexual foi rejeitado por um tribunal federal de Los Angeles, avança a BBC.

O juiz Philip Gutierrez  decidiu que as alegações da atriz não são válidas para um processo por assédio sexual e apenas deu luz verde a uma ação por difamação, pelo facto do produtor ter, segundo clama a atriz, "sabotado a sua carreira".

Recorde-se que esta é a segunda vez que o juiz rejeita a queixa de Ashley Judd, percursora do grande movimento de queixas contra o produtor de Hollywood.

Em setembro, o processo foi rejeitado mas, aproveitando uma mudança na lei da Califórnia relacionada com queixas de comportamento impróprio nas relações de trabalho, que agora inclui realizadores e produtores, Ashley Judd trtentou novamnete levar o caso a tribunal.

Recorde-se que Ashley Judd afirma que por ter recusado os avanços sexuais por parte de Weinstein este arruinou a sua carreira.

A atriz de 50 anos alegou ter perdido um papel em 'O Senhor dos Anéis' depois de ter rejeitado os avanços sexuais do magnata do cinema. A atriz abriu o processo aberto em abril e na terça-feira (17.07.18) o ​​tribunal ouviu Weinstein que argumentou perplexidade pela acção ter entrado 20 anos depois do suposto incidente, que data de 1998.

O produtor alega que o único incidente de 1998 não foi "generalizado ou severo" o suficiente para resultar em assédio sexual: "Os supostos avanços sexuais indesejados de Weinstein ocorreram num único dia e consistiram em ele pedir uma massagem, pedir para ajudá-lo a escolher roupas e pedir-lhe para vê-lo tomar banho. Essas alegações ficam muito aquém do elemento obrigatório 'invasivo ou severo", regista o processo a que o The Blast teve acesso.

Judd alegou que foi colocada na lista negra por Weinstein após o incidente e que isso afetou a sua carreira, mas ele respondeu dizendo "a alegação de que ela teria sido uma estrela maior se tivesse sido escalada para os filmes é totalmente especulativa".

No documento original, Judd acusou Weinstein de "retaliar" depois que ela ter recusado o produtor.

Harvey Weinstein declarou-se sempre inocente.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção