Nacional
Manuel Maria Carrilho condenado por agressão e difamação a Pedro Strecht
Manuel Maria Carrilho e Pedro Strecht
Redação Lux em 2 de Março de 2018 às 16:11

Um ano depois de Manuel Maria Carrilho ter agredido em pleno tribunal o pedopsiquiatra Pedro Strecht, o antigo ministro da Cultura foi condenado por ofensa à integridade física qualificada e injúria agravada.

A pena de oito meses de prisão foi convertida em multa e, assim, Carrilho vai ter de pagar 2400 euros ao conhecido médico, especialista em psicologia infantil e adolescente.

O episódio aconteceu durante o intervalo de uma das sessões do julgamento do processo em que Carrilho e Bárbara Guimarães disputavam a guarda dos filhos, Carlota e Dinis.

Pedro Strecht foi chamado a tribunal para dar um parecer sobre o estado psicológico dos filhos do arguido durante o processo de divórcio com a apresentadora. Não contente com o depoimento do médico, que disse que Carrilho manipulava a relação de Dinis com a mãe, o antigo ministro insultou-o e agrediu-o fisicamente, empurrando-o contra uma parede. Tudo aconteceu dentro da sala do tribunal, onde estavam os advogados, a funcionária judicial e a juíza encarregue do caso, que testemunharam o sucedido.

Por se tratar de um crime público, o pedido de desculpa de Carrilho a Pedro Strecht de nada valeu e a queixa manteve-se.

Esclarecimento

Numa nota enviada à redação da Lux, o pedopsiquiatra esclarece: “Manuel Maria Carrilho não me vai pagar 2400 euros. Esse é o valor que ele pagará ao Estado português por substituição da pena de prisão de 8 meses a que foi condenado – de facto, da minha parte bastou-me a carta de pedido de desculpas que o próprio me dirigiu, o estrito  pagamento das minhas custas jurídicas no valor de 1290 euros, bem como o donativo simbólico à Famser, uma ipss onde trabalho.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
Mercado
pub
Outros títulos desta secção