Nacional
Redação Lux em 27 de Janeiro de 2020 às 09:00
Bárbara Branco: 'As Doce foram um grito de liberdade numa altura pós-25 de Abril'

O projeto que no próximo verão vai levar ao cinema a história das Doce, a girls band que marcou a música portuguesa dos anos 80, foi apresentado com direito a um miniconcerto das protagonistas. Bárbara Branco, que dá vida a Fátima Padinha, Carolina Carvalho a Lena Coelho, Lia Carvalho, que será Teresa Miguel, e Ana Marta Ferreira, que veste a pele de Laura Diogo, cantaram “Bem Bom”, o tema que dá nome ao filme realizado por Patrícia Sequeira, e “É Demais”.

“Com 6 ou 7 anos, ouvia as Doce Mania, que cantavam e dançavam músicas das Doce. Lembro-me de saber as coreografias e de gostar muito de cantar as músicas. Era o que conhecia das Doce: as músicas. Claro que tudo mudou assim que começámos o trabalho de pesquisa, os ensaios e o trabalho de descoberta das personagens. Percebi que as Doce foram um grito de liberdade numa altura pós-25 de Abril, e atraiu-me muito o facto de, contra tudo e contra todos, terem a garra e a ousadia de quebrar barreiras e de reformularem a imagem da mulher portuguesa dos anos 80”, disse Bárbara Branco, acrescentando: “O facto de ser um projeto muito biográfico é uma barreira difícil de gerir. Os limites têm de estar muito claros, temos de saber exatamente até onde é que queremos ser fiéis à realidade. A Patrícia Sequeira sabe bem o que quer, e isso foi fundamental para estabelecer até onde queremos que a realidade influencie o nosso trabalho criativo.”

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção