Nacional
Alta Costura por Filipa Guimarães: 'Quem vê máscaras não vê corações'
Alta Costura na Lux por Filipa Guimarães, jornalista e escritora Foto: Carlos Ramos
Redação Lux em 23 de Julho de 2020 às 18:00

QUEM VÊ MÁSCARAS NÃO VÊ CORAÇÕES por Filipa Guimarães

Penso que quase toda a gente teve aquela sensação de que, quando uma coisa começa a correr mal, outras piores acontecem. Como se fosse um karma, um castigo divino, um voodoo feito por qualquer inimigo perdido no tempo. Daí a expressão “tens de ir à bruxa”! Como não conheço nenhuma certificada à mão, o único remédio que tenho é respirar fundo e tentar relativizar os problemas. Mas às vezes não é possível. Esta semana, e porque a minha vida é feita cada vez mais online, o meu computador avariou. Pifou, faleceu, bateu a bota, foi desta para melhor. Ao fazer uma aula de ginástica via Zoom, estiquei a perna para o lado e bati com o pé numa garrafa de água. Resultado: o teclado molhado e o meu coração aos saltos. Levantei-me para o ir limpar logo e lembrei-me de ir buscar um secador de cabelo, como já fiz quando, sem querer, molhei o telemóvel. Só que, de repente, lembrei-me que o tinha esquecido em casa dos meus pais. Quase a rezar, corri para o cabeleireiro mais próximo: “Por favor, empreste-me o secador só um bocadinho!” Como agora andamos de máscara senti-me o cowboy a entrar num saloon: a assustar toda a gente! É que mesmo que sorriamos com o olhar não é a mesma coisa. A cabeleireira foi simpática e ajudou-me a “secar” o aparelho mas... nada feito. Lá fui para um serviço de reparação de computadores. As minhas pernas tremiam com medo do diagnóstico. E com razão, pois o informático disse logo que podia estar todo danificado e, se não tivesse seguro, mais valia comprar outro. E lá está, de máscara posta, mais parecia um enfermeiro sádico. Esperemos encontrar formas mais eficientes de nos exprimirmos.
“Os olhos são o espelho da alma”, costumam dizer. Mas há muitas outras expressões que nos fazem falta para comunicar. Pode ser que apareça um modelo transparente. Porque os olhos também mentem e quem vê só parte da cara, não vê corações.

(Crónica publicada na Lux 1055 de 20 de julho)

 
Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Comentários

pub
pub
Outros títulos desta secção